Casa da Mulher Brasileira recebe investimentos para criar novas unidades

Segundo a secretária nacional de Políticas para Mulheres, Cristiane Britto, equipamento receberá R$ 5 milhões

Publicado em 12/08/2020 - 09:57

Brasília (DF) – O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) anunciou o investimento de R$ 5 milhões para a implementação de quatro unidades da Casa da Mulher Brasileira em Sobradinho, Recanto das Emas, Sol Nascente e São Sebastião, regiões administrativas do Distrito Federal.

Cristiane Britto, secretária nacional de Políticas para Mulheres (Foto: MMFDH)

A titular da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres (SNPM), Cristiane Britto, comentou sobre a implantação dos espaços de atendimento a mulheres em situação de violência e vulnerabilidade.

“Estamos investindo neste equipamento, reformulamos o projeto, reduzimos o custo, que antes era de R$ 3 milhões, e hoje com R$ 823 mil já é possível ter uma Casa da Mulher Brasileira. Resultado disso, estamos com a previsão de implantar e construir 25 novas unidades. Para isso, estamos investindo R$ 61 milhões neste projeto”, afirmou a secretária.

A Casa da Mulher Brasileira é um espaço de atendimento humanizado e especializado no atendimento à mulher em situação de violência doméstica, reunindo, em um mesmo local, Juizado Especial voltado para o atendimento a mulher, Núcleo Especializado da Promotoria, Núcleo Especializado da Defensoria Pública, Delegacia Especializada no Atendimento a Mulher, alojamento de passagem, brinquedoteca, apoio psicossocial e capacitação para a sua autonomia econômica.

“Este equipamento foi pensado para evitar que a mulher fique peregrinando e encontro no mesmo lugar um atendimento humanizado”, disse Cristiane Britto.

Unidades no DF

Deputado federal Julio Cesar Ribeiro (Foto: Douglas Gomes – Liderança do Republicanos)

O deputado federal Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF) destinou emenda no valor de R$ 1,8 milhões para garantir a construção e manutenção dos centros especializados de atendimento a mulher vítimas de violência doméstica. “Essa é mais uma vitória da população de Brasília. Acredito que a construção dessas unidades de atendimento chegam no momento certo, já que praticamente todos os dias somos surpreendidos com notícias envolvendo mulheres vítimas de violência e que, infelizmente muitas acabam também sendo vítimas de feminicídio”, ressaltou Julio Cesar Ribeiro.

Os equipamentos também receberam recursos por meio de emenda da bancada federal do Distrito Federal, segundo Cristiane Britto. O Governo do Distrito Federal, por sua vez, vai entrar com o terreno e com uma contrapartida de R$ 1,4 milhão, por meio de convênio, para a implementação das unidades.

De acordo com a reformulação da iniciativa, os novos espaços do DF seguirão a compactação dos serviços oferecidos. Cada unidade será construída em um espaço de 269 m². O lugar terá capacidade para oferecer os serviços de recepção e triagem da mulher em situação de violência, atendimento multidisciplinar, administrativo, espaço de convivência, brinquedoteca, espaço para equipe de psicólogas e assistência social.

A Casa da Mulher Brasileira

Criada em 2013, a Casa da Mulher Brasileira faz parte do programa Mulher Segura e Protegida, do MMFDH. O maior diferencial da iniciativa é oferecer, 24h por dia, em um único espaço, serviços especializados para os mais diversos tipos de violência contra as mulheres.

A primeira Casa da Mulher Brasileira, em Campo Grande (MS), foi inaugurada em 2015. Além dela, estão em funcionamento no país unidades em Curitiba (PR), São Luis (MA), Boa Vista (RR), São Paulo (SP) e Fortaleza (CE).

Ainda de acordo com Cristiane Britto, há previsão de construção de 25 novas unidades. Algumas cidades, como Rio de Janeiro, Goiânia e Porto Alegre, já foram mapeadas e têm investimentos previstos. Nesses municípios, de acordo com Cristiane, o índice de violência contra mulher tem aumentado.

Por Agência Republicana de Comunicação – ARCO

 

Reportar Erro