CPI de Brumadinho aprova relatório pelo pedido de indiciamento da Vale

Gilberto Abramo assumiu os trabalhos da CPI, em fevereiro, participando das reuniões e interrogatórios que deram subsídios ao relatório final

Publicado em 11/11/2019 - 00:00

Brasília (DF) – A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Rompimento da Barragem de Brumadinho aprovou, semana passada, o relatório final sobre as investigações do caso. Pelo texto, as empresas Vale, TÜV SÜD e de mais 22 pessoas, além da Schvartsman deverão ser indiadas por homicídio doloso e lesão corporal dolosa. Além disso, a Vale e a TÜV SÜD também deverão responder por delitos previstos na Lei de Crimes Ambientais.

Gilberto Abramo, deputado federal pelo Republicanos Minas Gerais, assumiu os trabalhos da CPI, em fevereiro deste ano, participando das reuniões e interrogatórios que deram subsídios ao relatório final. Segundo o parlamentar, que também é segundo vice-presidente do colegiado, objetivo é que seja feito justiça junto aos órgãos competentes, uma vez que as provas foram pertinentes. “Há provas concretas as quais demonstram que pessoas e empresas tinham conhecimento de que a tragédia iria acontecer”, ressaltou.

O documento deverá ser enviado a 25 órgãos no âmbito federal e estadual dos Poderes Executivo, Legislativo, além do Ministério Público.

Caso

Em janeiro deste ano, uma barragem da Vale rompeu em Brumadinho, levando uma enxurrada de lama à região. Mais de 250 mortes foram confirmadas, e ainda há pessoas desaparecidas.

Durante a votação do relatório final, famílias das vítimas levaram faixas e cartazes e distribuíram aos deputados fotos dos mortos na tragédia.

Texto: Lélia Queiroz / Ascom – deputado federal Gilberto Abramo
Foto: Douglas Gomes

Reportar Erro