Republicanas debatem perfil da mulher conservadora

Bate-papo “O perfil da mulher conservadora” ocorreu durante o seminário virtual Conservative Tech e Valores Republicanos

Publicado em 22/02/2021 - 18:20

Brasília (DF) – O seminário virtual Conservative Tech e Valores Republicanos promovido pela Fundação Republicana Brasileira (FRB), nesta segunda-feira (22), foi um sucesso, inclusive entre as mulheres. Em um bate-papo sobre “O perfil da mulher conservadora”, as deputadas federais do partido, Aline Gurgel (AP), Maria Rosas (SP) e Rosangela Gomes (RJ), debateram sobre o assunto com a secretária nacional de Políticas para Mulheres, dra. Cristiane Britto.

O debate foi mediado pela jornalista e coordenadora da Agência Republicana de Comunicação (ARCO), Helen Assumpção, e pela jornalista Mônica Donato, coordenadora da Assessoria de Comunicação da Liderança do Republicanos na Câmara. “É extasiante ver que nossas republicanas estão marcando presença neste encontro. Nossas militantes abraçam com firmeza a cada compromisso do partido, com a prerrogativa de conhecerem mais o Republicanos e trabalharem melhorias que promovam o público feminino”, disse Rosangela Gomes, também secretária nacional do Mulheres Republicanas.

Sobre o que é ser uma mulher conservadora, cada uma das participantes levantou seu ponto de vista, dentro do bem comum a todas as mulheres. Cristiane Britto reforçou os trabalhos que vem fazendo no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. “Na Secretaria, estamos sempre promovendo projetos de âmbito nacional para fomentar a igualdade de oportunidade para as mulheres nos espaços de poder, na sociedade de uma forma geral e, principalmente, na política. Durante a campanha eleitoral de 2020, a ministra Damares, em parceria com a SNPM, realizou inúmeras salas de bate-papo e workshops ressaltando o papel fundamental que a mulher tem na política”, disse.

A vice-secretária nacional do Mulheres Republicanas e secretária do movimento no Paraná, a advogada Marcilene Soares, participou da plateia virtual e destacou a importância da realização do seminário e da sua visão de ser uma mulher conservadora. “O seminário de hoje foi excelente para esclarecer que a mulher conservadora é aquela que atua nos costumes, mas que tem a mente aberta para as novas realidades; aquelas que buscam a reflexão e conhecimento para atingir o bem comum, sem extremismo, mas trazendo equidade em seus posicionamentos”, afirmou.

A deputada federal Maria Rosas pontuou que por ser filha de um ex-vereador sempre viveu na pele a necessidade de saber o que realmente as pessoas precisam. Declarou, ainda, ter um mandato municipalista, integralmente para o povo, e sua atuação para as mulheres. “Trabalho para que as mulheres estejam cada vez mais inseridas no cenário político. Em São Paulo, o estado que represento, trabalhamos a consciência política e a representatividade feminina que são extremamente importantes. A mulher consegue fazer desse espaço, um lugar democrático, para que haja um equilíbrio. A mulher pode ser conservadora e fazer a diferença onde ela estiver”, reiterou.

Quem também deixou uma análise sobre a pauta foi a deputada que representa as mulheres na região Norte do país. Aline Gurgel, além de uma parlamentar aguerrida, também é presidente estadual do Republicanos Amapá. A republicana reforçou o ideal da mulher conservadora, principalmente no ambiente político. “A mulher conservadora busca o equilíbrio permanente, ela sabe que precisa estar conectada ao mundo e precisa inovar sempre, mas mantendo o seu ponto de vista para manter o equilíbrio tanto dentro do seu lar, quanto para a sociedade tornar-se cada vez melhor”, declarou.

Dentre outras pautas, as republicanas falaram sobre direitos humanos, violência contra a mulher, atuação na Câmara dos Deputados, política municipal e estadual. Rosangela Gomes também destacou o trabalho do Mulheres Republicanas e que luta diariamente e nacionalmente para garantir os direitos femininos no parlamento, nos espaços de poder, no combate a todo e qualquer tipo de violência. “Temos, aqui, um presidente que apoia, investe na promoção da mulher. O deputado Marcos Pereira já deixou bem claro que no Republicanos a mulher não é cota. A mulher, aqui, tem voz, vez e espaço. A todo tempo, fomentamos a participação da mulher dentro do partido e capacitamos nossas republicanas para atuarem nos seus mandatos com as nossas queridas secretárias estaduais e municipais em cada cidade do Brasil. Sem equidade, não existe democracia estabelecida”, ressaltou Rosangela Gomes, que também é a 4º secretária da Mesa Diretora na Câmara dos Deputados.

Bancada feminina do Republicanos

Com números surpreendentes nas eleições, as mediadoras fizeram questão de ressaltar a brilhante atuação feminina. O partido conta com duas presidentes estaduais, 30 prefeitas, 42 vice-prefeitas, 391 vereadoras e cinco deputadas estaduais. Na Câmara, a sigla conta com três deputadas federais e ganhará mais reforço com a chegada de Tia Eron (Republicanos-BA), que assumirá o posto do republicano João Roma (BA), indicado para ser ministro da Cidadania.

Texto e fotos: Carolina Ribeiro e Gisele Rocha / Ascom – Mulheres Republicanas
Foto destaque: ARCO – Agência Republicana de Comunicação

 

Leia mais

Seminário promovido pela FRB destaca valores republicanos e conservadorismo

Reportar Erro
Send this to a friend