Abrigo para crianças e proteção às mulheres integram “Operação Carnaval” em Salvador

Secretaria de Políticas para as Mulheres, Infância e Juventude, comandada por Rogéria Santos (PRB), disponibilizará espaços para crianças e adolescentes, filhos de ambulantes e catadores

Publicado em 26/02/2019 - 00:00

Salvador (BA) – A Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), comandada pela republicana Rogéria Santos (PRB), disponibilizará espaços de convivência para crianças e adolescentes, filhos de ambulantes e catadores de recicláveis que trabalham durante o Carnaval de Salvador. Além disso, o Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce receberá mulheres vítimas de violência, com ou sem filhos, que forem encaminhadas pelas Delegacias de Atendimento à Mulher (DEAMs).

“Nosso compromisso com a proteção e abrigo das crianças e mulheres em situação de violência e vulnerabilidade é, mais uma vez, firmado com os soteropolitanos. Estamos dispondo cerca de 250 profissionais, compondo uma equipe qualificada e preparada para o trabalho, que exige total dedicação”, afirma a secretária Rogéria Santos.

Durante os sete dias de Carnaval, que inicia no dia 28 de fevereiro, a SPMJ terá quatro Casas de Acolhimento Provisório disponíveis para os filhos de ambulantes e catadores cadastrados de recicláveis cadastrados pela Prefeitura de Salvador. Com capacidade de 100 crianças em cada unidade, por período integral, também poderá ser encaminhados menores por meio de abordagem social e Conselho Tutelar.

Proteção e defesa das mulheres

Com funcionamento 24 horas e capacidade para abrigar até 29 pessoas, o Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce (CAMSID), localizado na Ribeira, irá oferecer assistência jurídica, psicológica e social para as vítimas que forem encaminhadas pelas DEAMs durante os festejos. Este ano os serviços do Centro de Referência Loreta Valadares, nos Barris, não irão ser oferecidos durante o Carnaval.

Ainda serão implantados também observatórios para registrar e encaminhar casos de violência contra mulheres, com o intuito de reduzir ocorrências na festa. Coordenado pela Secretaria Municipal da Reparação (SEMUR) em parceria com a SPMJ, os observatórios estarão distribuídos pelos circuitos e funcionarão das 13 às 00h. Caso o folião presencie algum tipo de violência contra mulheres, também poderá denunciar por meio do WhatsApp do Observatório, no número (71) 98622-5494.

Casas de Acolhimento Provisório

Centro Municipal de Educação Infantil de Amaralina – Eduardo José dos Santos
Endereço: Rua Visconde de Itaborathy, 102, Amaralina
Crianças de 7 a 17 anos

Escola Municipal Casa da Amizade
Endereço: Rua Quintino de Carvalho, 277, Jardim Apipema
Crianças de 0 a 6 anos

Colégio Estadual Mário Augusto Teixeira de Freitas
Endereço: Rua da Mangueira, 19, Nazaré
Crianças de 7 a 17 anos

Colégio Estadual Senhor do Bonfim
Endereço: Rua General Labatut, 49, Barris
Crianças de 0 a 6 anos

Observatórios de Violência Contra Mulheres

Piedade
Castro Alves
Casa d’Itália
Farol da Barra
Antigo Clube Espanhol

Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce

Endereço: Rua Lélis Piedade, na Ribeira

Texto e foto: Ascom – Secretária Rogéria Santos

Reportar Erro