Pós-pandemia: quais são os impactos para a saúde mental?

Proposta de autoria da deputada criminaliza agressões psíquicas contra as mulheres

Publicado em 02/09/2022 - 15:05

São Paulo (SP) – Com o advento da covid-19, debates sobre saúde mental ganham destaque no país. Com a pandemia, houve aumento do sofrimento psicológico, dos sintomas psíquicos e dos transtornos mentais, ocasionados em razão da doença, das perdas de familiares e estabilidade financeira, do distanciamento social e, com ele, o sedentarismo, dos excessos alimentares, dos hábitos nocivos, como a ingesta excessiva de álcool e o tabagismo, das preocupações, estresse e a própria mudança no estilo de vida.

Especialistas em psicoterapia e desenvolvimento humano relatam que a pandemia trouxe uma espécie de “estado de angústia coletivo”, um pânico generalizado que se manifesta não só em pessoas que já faziam algum tipo de acompanhamento psicológico, mas até mesmo em pessoas definidas por eles como funcionais. Depressão, ansiedade, apatia, irritabilidade, distúrbios de apetite, insônia e até déficit de atenção são sintomas cada vez mais corriqueiros, efeitos decorrentes do desespero e da impotência perante vírus.

E qual seria a melhor maneira de cuidar de nossa saúde mental pós-pandemia? Acima de tudo, profissionais da saúde relatam que é imprescindível saber respeitar os limites emocionais e o tempo de cada um, pois as estruturas psicológicas humanas são únicas e reagem de formas distintas, tanto a estímulos quanto a desafios. Recomenda-se manter uma rotina saudável que alie trabalho, lazer, atividades físicas e um tempo para a família. Lembrando que também é preciso procurar ajuda quando houver sintomas graves, como ansiedade intensa ou ataques de pânico, pensamentos recorrentes de morte, agressividade física e brigas frequentes, entre outros, ou quando houver sofrimento emocional, conflitos familiares e/ou prejuízos em termos de aprendizagem e relacionamentos com pares e com o seu médico, definir as melhores opções terapêuticas entre as diversas modalidades psicoterápicas e/ou farmacológicas.

Na Câmara dos Deputados, tramitam cerca de 24 Projetos de Lei sobre esse assunto, como o PL 2083/2020, que cria programa de atenção aos problemas de saúde mental decorrentes da covid-19. Como deputada atuante na área da saúde e em defesa da mulher, apresentei o PL 523/2020, que considera como crime a violência psicológica sofrida pelo contexto de violência doméstica. Durante a pandemia, as agressões psíquicas contra mulheres e meninas aumentaram, gerando ainda mais traumas às vítimas. A ideia do projeto, portanto, é criminalizar esse tipo de conduta do agressor. Outra proposição é o PL 3563/2020, que incluiu o atendimento humanizado e acessível para pessoas com deficiência nas ações para enfrentamento da emergência de saúde pública.

Sei que temos muito para avançar e estamos trabalhando para isso. Juntos, podemos atravessar esse desafio na busca por mais qualidade de vida para todos.

 *Os artigos publicados no Portal Republicanos são de responsabilidade de seus autores

Reportar Erro
Send this to a friend