O que é taxa Selic e como ela impacta sua vida?

Além de ser referência para as demais taxas de juros e estar ligada ao controle da inflação, ela pode, por exemplo, encarecer ou baratear o acesso ao crédito

Publicado em 29/03/2021 - 09:00

Brasília (DF) – Ela é acompanhada de perto todos os dias pelo mercado, pois seus efeitos e mudanças impactam diretamente no dia a dia dos brasileiros no que diz respeito a taxas de juros, como o do cheque especial, por exemplo. Você sabe o que é taxa Selic? Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, principal instrumento de política monetária utilizado pelo Banco Central (BC) para controlar a inflação.

Tal sistema é uma infraestrutura do mercado financeiro administrada pelo BC. Nele, são transacionados títulos públicos federais. A taxa média ajustada dos financiamentos diários apurados nesse sistema corresponde à taxa Selic.

Mensalmente, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anuncia o índice da taxa básica de juros da economia. Por isso, a importância de acompanhá-la.

Portanto, a taxa Selic é a média de juros que o governo brasileiro paga por empréstimos tomados dos bancos. Quando a Selic aumenta, os bancos preferem emprestar ao governo, porque paga bem. Já quando a Selic cai, os bancos são “empurrados” para emprestar dinheiro ao consumidor e conseguir um lucro maior. Assim, quanto maior a Selic, mais “caro” fica o crédito que os bancos oferecem aos consumidores, já que há menos dinheiro disponível.

Este ano, mais precisamente no dia 17 de março, depois de seis anos, a taxa Selic foi elevada pelo BC de 2% para 2,75% ao ano. Com a subida da Selic, os investimentos em renda fixa voltam a ficar mais atrativos, dado o menor risco da classe, e passam a concorrer com outros de maior volatilidade, como é o caso dos Fundos Imobiliários, apontam especialistas.

O aumento da taxa, segundo o BC, é para diminuir os impactos causados pela inflação nos últimos meses. A medida, de acordo com a instituição, prevê manutenção nos preços dos alimentos, no entanto, terá aumento de juros em financiamentos e empréstimos.

Além disso, o BC espera que a inflação termine 2021 dentro da meta, de 3,45%.

Como esta alta impacta em nossa vida?

– ao aumentar os juros o BC tenta conter o avanço da inflação;
– os financiamentos ficam mais caros e investimentos financeiros passam a render mais; e
– passa a ser mais vantajoso guardar do que rodar o dinheiro. Com menos demanda, os preços tendem a cair, reduzindo a inflação.

Investimentos

Como a taxa Selic é usada como referencial de rentabilidade nos investimentos, quem possui títulos de renda fixa – como poupança, CDBs, LCIs LCAs e Tesouro Selic – deve ter maiores ganhos com a alta.

Cartão de crédito

As linhas de crédito disponíveis para as pessoas físicas aumentaram as taxas de juro ao mês. A do cartão de crédito elevou de 1,34% para 11,19% ao mês (257,10% ao ano) em janeiro para 11,34% ao mês (262,92% ao ano) em fevereiro.

Emprego e renda

Além de influenciar na redução do consumo, o crédito mais caro encarece o investimento das empresas. Se as vendas e a produção não crescem, as companhias, em geral, reduzem suas contratações.

Agência Republicana de Comunicação – ARCO, com informações do Banco Central
Ilustração: Arquivo Republicanos

Reportar Erro
Send this to a friend