Republicanos faz parceria com TSE para combater fake news

A deputada Rosangela Gomes representou o presidente nacional do Republicanos, Marcos Pereira, no lançamento do Programa de Enfrentamento à Desinformação do TSE

Publicado em 31/08/2019 - 00:00

Brasília (DF) – A secretária nacional do Mulheres Republicanas e 4ª vice-presidente nacional do Republicanos, deputada federal Rosangela Gomes (Republicanos-RJ) efetivou, nesta sexta-feira (30), a participação do partido no Programa de Enfrentamento à Desinformação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com foco nas eleições de 2020.

O termo assinado tem a finalidade de enfrentar os efeitos negativos provocados pela desinformação à imagem e credibilidade da Justiça Eleitoral, à realização das eleições e aos atores envolvidos no pleito. A iniciativa conta com a participação de entidades da área de comunicação, organizações sociais e partidos políticos.

Representando o presidente do Republicanos, deputado federal Marcos Pereira, a republicana frisou que as notícias falsas têm sido uma ameaça para a legitimidade do processo eleitoral.

“Essa questão de boatos será um grande desafio para as eleições de 2020. Saber que o termo foi assinado por diversos partidos políticos e por representantes de entidades de comunicação, nos traz segurança para o próximo pleito. Sabemos dos malefícios  que uma notícia falsa pode causar. O TSE está de parabéns pela iniciativa”, concluiu Rosangela Gomes, única parlamentar dentre todos os partidos presentes no evento.

Sobre o programa

O Republicanos participa do Programa com objetivo de contribuir com a criação de mecanismos de combate à desinformação no período eleitoral. Ao todo, 34 instituições participam do programa, entre partidos políticos e entidades públicas e privadas.

A iniciativa é composta por quatro grupos de trabalho: Organização interna, Alfabetização Midiática e Informacional, Contenção à Desinformação e Identificação e Checagem de Desinformação. A coordenação fica por conta do TSE e todo trabalho será voltado para impedir que notícias falsas interfiram no processo eleitoral, mantendo a credibilidade da Justiça Eleitoral e das eleições.

Texto: Gabbriela Veras – Ascom – Mulheres Republicanas Nacional
Fotos e informações: Ascom – Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Edição: Agência Republicana Brasileira (ARCO)

Reportar Erro