Jhonatan de Jesus cobra e Governo Federal faz reunião sobre situação de RR

Reunião com o ministro da Secretaria de Governo e o ministro da Casa Civil, contou com a participação de deputados, senadores e o governador de RR

Publicado em 29/08/2019 - 00:00

Brasília (DF) – O ministro da Secretaria de Governo, General Ramos, e o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, receberam, na tarde de quarta-feira (28), deputados, senadores e o governador de Roraima, Antonio Denarium, para discutir a situação do estado em meio à contínua chegada de venezuelanos. O encontro aconteceu após a dura atuação do líder do Republicanos na Câmara, deputado federal Jhonatan de Jesus (RR), que orientou a bancada de seu partido a obstruir a pauta de votações, na semana passada, enquanto o governo não se posicionasse sobre o assunto.

Segundo Jhonatan, a comitiva pediu que o governo envie uma Medida Provisória abrindo crédito extraordinário para atender o estado neste momento de crise. “A questão da imigração em Roraima chegou a um ponto que não tem mais controle. Hoje nós já temos mais de 40 mil venezuelanos nas ruas de Roraima e não temos condições de continuar assim. Precisamos com urgência dessa ajuda”, reivindicou o líder.

Os parlamentares argumentaram que os recursos serão fundamentais para atender as necessidades básicas da população, como saúde e alimentação, e criticaram a Operação Acolhida do Ministério da Defesa, que, segundo eles, não está diminuindo a entrada de venezuelanos no estado. “Não somos xenófobos e sei que a situação do país vizinho é muito delicada, mas não podemos acolher os estrangeiros e deixar de atender os brasileiros. Não dá para continuar como está”, disse Jhonatan.

O senador Mecias de Jesus (Republicanos-RR) também solicitou que o governo federal intervenha na saúde e na segurança pública de Roraima. “Pedimos ao presidente Jair Bolsonaro que lance os olhos sobre a situação de descalabro e de desorganização generalizada que estamos atravessando. É preciso tomar providências, antes que aconteça uma ruína total para os brasileiros que vivem no estado de Roraima”, acrescentou.

Os ministros pediram o prazo de oito dias para organizar um plano de ações a serem executadas na fronteira.

Texto: Mônica Donato / Ascom – Liderança do Republicanos na Câmara
Colaborou: Thifany Batista
Fotos: Rafael Carvalho / Casa Civil

Reportar Erro