Idoso: valor inestimável

Vitor Paulo, deputado federal PRB-RJ

Publicado em 06/08/2012 - 00:00

Uma das expressões mais significativas do grau de desenvolvimento de um povo é o respeito para com os idosos. Por isso, tratar os idosos com atenção e carinho é um gesto de solidariedade dos que compreendem a velhice não como peso a carregar, mas como a serena plenitude da vida, da experiência e da sabedoria humana.

Se no passado não tivemos o devido cuidado dessa faixa etária da população, hoje nos empenhamos em garantir os recursos e o apoio a que têm direito os mais velhos.

Agora, felizmente, velhice deixou de corresponder à desilusão. Mudança que não se deu por acaso, mas em consequência de transformações por que passou a demografia brasileira. Conforme Censo do IBGE de 2010, todas as faixas etárias até 25 anos passaram a ter peso menor do que em 2000, enquanto os demais grupos se tornaram comparativamente maiores. Estima-se que a parcela dos “muito idosos” no Brasil chegue, em 2040, a 13,7 milhões, 24,6% da população idosa e 6,7% do total de habitantes.

Para tão grande mudança, cumpre-nos resgatar os mais velhos do esquecimento, do menosprezo e do abandono a que são relegados. Ação a que se deve proceder não porque sejamos bons, mas, sobretudo, por questão de justiça, por reconhecer nos idosos o valor do que fizeram e a importância do que ainda poderão realizar, como detentores do saber e da experiência a que só chegamos ao termo de longa vida.

Dessa forma, expressamos nosso reconhecimento e admiração aos milhões de homens e de mulheres idosos que, com a força dos braços e com o brilho da inteligência, escreveram uma história que engrandece o Brasil e honra o povo brasileiro.

Essa é a nossa bandeira e a nossa profissão de fé.

Vitor Paulo é deputado federal pelo PRB no Estado do Rio de Janeiro

 

 

Reportar Erro