Câmara dos Deputados homenageia José Bonifácio de Andrada

Um busto em homenagem ao estadista foi inaugurado na Casa, com a presença do deputado federal Lafayette de Andrada (Republicanos-MG)

Publicado em 22/08/2019 - 00:00

Brasília (DF) – Um busto em homenagem ao estadista José Bonifácio de Andrada e Silva Santos foi inaugurado na quarta-feira (21), na Câmara dos Deputados. Conhecido como patriarca da independência do Brasil, ele é tema de exposição na Casa e foi, ainda, um dos destaques durante sessão solene em celebração ao Dia do Historiador, foi requerida pelos deputados Enrico Misasi (PV-SP) e Lafayette de Andrada (Republicanos-MG).

Heptaneto de José Bonifácio, o republicano Lafayette de Andrada ressaltou a relevância dele para o dia 7 de setembro de 1822, quando o país se tornou uma República. “Em nome da família Andrada, agradeço as homenagens feitas e parabenizo a Câmara pela importante decisão de comemorar o bicentenário da independência e destacar os 200 anos do retorno de José Bonifácio ao Brasil, que foi quando a figura dele se agigantou”, afirmou.

O deputado Aroldo Martins (Republicanos-PR) destacou a representatividade da família Andrada na política brasileira. “Desde a independência do Brasil, nunca houve Legislatura nesta Casa sem parlamentares da família Andrada, aqui representada em mais uma geração pelo deputado Lafayette”, disse.

Durante o descerramento do busto, o deputado Luizão Goulart (Republicanos-PR) ressaltou a importância da história e dos historiadores. “O historiador e o poeta não se distinguem um do outro pelo fato de o primeiro escrever em prosa e o segundo em verso. Diferem entre si, porque um escreveu o que aconteceu e o outro o que poderia ter acontecido”, disse ao lembrar que sem o trabalho dos historiadores não saberíamos a importância de José Bonifácio na atualidade.

Lafayette explicou que, inicialmente, José Bonifácio defendia a manutenção do Brasil unido a Portugal. “Ele imaginava uma nação bicontinental, um país na América que tinha um pé na Europa e que seria o gigante mundial. Infelizmente, a ideia não progrediu, pois Lisboa foi inflexível e, ao retrocederem o status do Brasil para colônia, deflagrou-se a independência”, comentou.

O parlamentar mineiro também observou que, após a independência do país, José Bonifácio foi nomeado primeiro-ministro de Reinos Estrangeiros e iniciou um processo de desenvolvimento, interiorização e integração da pátria, preservando, sobretudo, unidade nacional. “Ele priorizou a construção de universidades em todos os estados e escolas em todos os municípios. Iniciou o processo da civilização dos índios e da reforma agrária”, contou.

Lafayette de Andrada parafraseou José Clemente Pereira, líder das manifestações populares do Dia do Fico. “Durante o enterro de Bonifácio, Clemente proferiu a seguinte frase: Patriarca respeitável da nossa regeneração política, cujos serviços relevantes o Brasil nunca saberá reconhecer e a quem a posteridade se mostrará mais agradecida dos que os seus próprios contemporâneos têm feito”, disse.

A deputada Soraya Santos (PR-RJ), que representou o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, destacou a importância do ato para o Parlamento brasileiro e agradeceu a presença dos familiares no ato. Além de vários historiadores, participaram da sessão solene, o presidente da Academia de Letras (ABL) Marco Lucchesi e a irmã do deputado Lafayette, Maria Angélica de Andrada.

Texto: Fernanda Cunha, com edição de Mônica Donato / Ascom – Liderança do Republicanos na Câmara
Fotos: Douglas Gomes

Reportar Erro