Ireuda Silva exige fiscalização da “Lei Antibaixaria”

Legislação proíbe o uso de recursos públicos para a contratação de artistas e bandas que em suas músicas exponham mulheres à situação de constrangimento

Publicado em 20/02/2017 - 00:00

Legislação proíbe o uso de recursos públicos para a contratação de artistas e bandas que em suas músicas exponham mulheres à situação de constrangimento

 

Salvador (BA) – A vereadora Ireuda Silva (PRB) exigiu do secretário de Cultura e Turismo do Município de Salvador, Cláudio Tinoco, mais rigor na fiscalização da Lei Antibaixaria, prevista na Lei Municipal 8286/2012.

“Me falta entendimento, como artistas renomados que elevam nossa cultura musical e alavancam o carnaval podem ao mesmo tempo denegrir imagem da mulher com músicas ofensivas remetendo ao duplo sentido e promovendo a violência e a baixaria”, questionou a republicana.

Ireuda Silva que é membro da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher solicitou mais atenção na fiscalização da legislação no período do carnaval, que proíbe o uso de recursos públicos do município para a contratação de artistas e bandas que em suas músicas, dança ou coreografias, desvalorizem, incentivem a violência ou exponham mulheres à situação de constrangimento.

Ireuda lembra, ainda, que mesmo com a liberdade de expressão do artista, não pode haver distorção de valores musicais. “A Bahia é reconhecida por uma riqueza de cultura musical e essas letras ofensivas agridem não só as mulheres, mas toda sociedade”, finalizou a republicana.

Texto e foto: Ascom – vereadora Ireuda Silva

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

Reportar Erro