Ética e monitoramento são debatidos em cursos de política aos alunos de idiomas da FRB

Aulas foram ministradas a todas as turmas de inglês e espanhol da instituição. Debate contou com a participação ativa dos estudantes

Publicado em 20/05/2017 - 00:00

Brasília (DF) – Como parte da grade curricular, a Fundação Republicana Brasileira (FRB) realiza uma aula do Curso de Política – principal atividade educacional da entidade – aos alunos de idiomas. Na quarta e quinta-feira (17 e 18) foi a vez das novas turmas de inglês e espanhol, de todos os períodos, assistirem às explanações do doutor em Ciência Política, Leonardo Barreto, e do especialista em Direito Eleitoral, Paulo Fernando Vasconcelos, na sede da instituição.

Ao perguntar o que vem à mente dos participantes quando pensam na palavra política, o coordenador acadêmico da FRB ouviu respostas como: “roubalheira”, “corrupção” e “bandidagem”. Barreto explicou: “Hoje existe, infelizmente, uma perspectiva quase criminalizada da política”. Sobre o poder popular, o coordenador acadêmico da entidade enfatizou: “O povo detém o poder que faz o outro político ou não. O ponto das eleições é muito importante. A necessidade do político é o voto. E em nome dele é que a maior parte dos pecados são praticados. Por isso, devemos monitorar melhor nossos representantes, antes e depois de elegê-los”.

Já Paulo Fernando, durante sua exposição, explicou sobre a importância dos princípios morais e éticos, da educação familiar e de manter valores. “Vivemos uma subversão de valores, um momento em que muitos sofismas são criados e acabam por contribuir para a destruição social. Mas quem disse que precisa ser assim? Quem colocou em nossas mentes que não podem existir políticos honestos e comprometidos? Estamos percorrendo um caminho arriscado. É possível mudar essa visão e mudar o país”.

Impressões

“Hoje saio daqui com o pensamento totalmente diferente. Aprendi que a política é o meio em que podemos participar e provocar essa mudança que o Brasil precisa”. – Mariana Maia, estudante.

“O curso teve como objetivo nos conscientizar do nosso papel perante a sociedade. Essa crise política que estamos vivendo vem, exatamente, para mostrar isso: que nós temos um papel fundamental de fiscalizar, de exercer nossa função como cidadãos da República. O curso foi de grande valia, reforçou alguns valores que devemos ter e veio para reafirmar nossa consciência como sociedade”, disse Dhiulia Santos, universitária.

“A aula me ajudou a esclarecer algumas dúvidas que eu tinha, como escolher o candidato, por exemplo. Eu aprendi o que faz um deputado federal, um distrital, governador e presidente. Isso me auxiliou a como exercer meu papel como cidadã. O aprendizado vai contribuir para minhas escolhas no próximo pleito”, comentou Ana Karla Barnabé, gerente de recursos humanos.

“É a primeira palestra que eu assisto da FRB e achei muito construtivo o conteúdo. O curso ajuda muito. A educação política é importante e necessária. Eu desconhecia o papel da Fundação e estou surpreendido, acho que é a única Fundação que dá oportunidade de você entender um pouco sobre política”, aponou José Roberto Araújo, servidor público.

Texto: Suellen Siqueira e Eulla Carvalho / Ascom – FRB
Fotos: Carlos Gonzaga – Ascom FRB

 

Reportar Erro