Crivella entrega mais 200 crachás do “Ambulante Legal”

Trabalhadores de seis bairros recebem o documento com QR Code, que facilita identificação pelos consumidores

Publicado em 15/08/2019 - 00:00

Rio de Janeiro (RJ) – O prefeito Marcelo Crivella (PRB) entregou nesta quinta-feira (15), mais 200 crachás de identificação do Ambulante Legal para trabalhadores que atuam em São Cristóvão, Centro, Caju, Paquetá, Mangueira e Santo Cristo. O programa já alcançou 30 bairros e distribuiu mais de 2,5 mil documentos do tipo. A ação proporciona estabilidade e dignidade aos ambulantes, que podem trabalhar legalizados, sem correr risco de ter suas mercadorias apreendidas. E facilita, para fiscais e população, a identificação dos trabalhadores e das mercadorias que vendem.

“O crachá tem valor, representa seu documento. Ele tem a assinatura da Prefeitura, é a lei, o direito que você está recebendo do povo que elegeu o prefeito, a sua autorização. Ali onde você trabalha é o seu local”, disse Crivella, antes de distribuir os documentos pessoalmente a cada um dos beneficiados.

Thomy Nunes, 67 anos, ambulante há quatro décadas, vende roupas no entorno da Rodoviária Novo Rio. Com o trabalho de ambulante, criou duas filhas, hoje casadas e formadas em direito (uma delas, delegada de polícia, contou). O crachá no peito é uma conquista para ele.

“Estou muito feliz pelo que o trabalho na rua me deu, sou grato a essa cidade. Hoje estamos recebendo um documento que dá mais dignidade para nós, trabalhadores da rua”, afirmou o paraense de Marajó.

Os crachás para os bairros contemplados nesta quinta são de uma segunda remessa a esses locais. Os documentos dispõem de QR Code, código de barras bidimensional de resposta rápida que permite não só à fiscalização, mas também à população, acessar informações como nome, número de inscrição e mercadorias que o ambulante está autorizado a vender. Além disso, por meio da tecnologia, é possível conferir o local onde o trabalhador está autorizado a atuar.

Criado através do Decreto 44.838/2018, em agosto do ano passado, o Ambulante Legal organiza e facilita a identificação dos ambulantes autorizados a trabalhar na cidade. O programa propõe, inclusive, a implementação de políticas públicas de qualificação profissional aos trabalhadores.

Texto: Ascom – Prefeitura do Rio de Janeiro
Foto: Edvaldo Reis

Reportar Erro