Crivella dá posse a 181 novos servidores da educação e saúde

Crivella cria área para treinamento de ciclistas no Porto Maravilha

Prefeito do Republicanos assinou termo de compromisso que cria a Área de Proteção ao Ciclismo de Competição (APCC) no Porto Maravilha

Publicado em 27/11/2019 - 00:00

Rio de Janeiro (RJ) – O prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) assinou, nesta terça-feira (26), o termo de compromisso que cria a Área de Proteção ao Ciclismo de Competição (APCC) no Porto Maravilha. A Prefeitura vai autorizar a abertura do circuito Marcos Hama, com 11 quilômetros de extensão, para treinos aos domingos e feriados, das 6h às 8h, a partir de 1º de dezembro. O percurso compreende a Avenida Alfred Agache, o Túnel Prefeito Marcello Alencar e a Avenida Rodrigues Alves.

Será a 3ª APCC do Rio, uma conquista para os praticantes do esporte e para o crescimento do uso da bicicleta na cidade. As demais APCCs são o circuito Pedro Nikolay, com 7 km, no Aterro do Flamengo (Zona Sul), e o circuito Guilherme Pádua, com 8 km, no Recreio dos Bandeirantes (Zona Oeste). Agora, somadas as três áreas de proteção, são 26 km dedicados ao treinamento de ciclistas de competição na cidade.

“Nós estamos celebrando hoje uma grande vitória para a Cidade do Rio de Janeiro e para o esporte”, afirmou o prefeito. “Quando a gente vê o acidente que fez o Hama ficar tetraplégico, tem toda a razão de se preocupar e fazer as APCCs”, completou Crivella, referindo-se ao ciclista que dá o nome do novo circuito.

A demanda por uma nova APCC, agora no Porto Maravilha, veio da Comissão de Segurança no Ciclismo (CSC) do Rio de Janeiro. Para a implantação, a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto (Cdurp) buscou o apoio de CET-Rio, Comlurb, Guarda Municipal e Concessionária Porto Novo.

O presidente da CSC, Miguel Lasalvia, elogiou a Prefeitura pelo novo espaço de treinamento. A iniciativa, disse, mantém o Rio na vanguarda no que se refere a áreas onde o ciclismo de alto rendimento pode ser praticado em segurança.

“Foi absolutamente espetacular o posicionamento da Prefeitura. O ciclismo é, mundialmente, o esporte com mais vítimas fatais. Esse é um circuito de 11 km de qualidade técnica. Esta nova área vai facilitar ainda mais a prática porque será aberta aos domingos. Os atletas vão treinar evitando se colocar em risco nas ruas e nas estradas”, comemorou Lasalvia que, durante o evento, dirigiu-se a Crivella, a quem agradeceu: “Este momento é ímpar. Prefeito, o senhor está salvando vidas hoje”.

O paratleta Edson Nascimento, vice-campeão brasileiro de handbike, também elogiou a qualidade da nova área de treinamento. “Além de ser segura e com infraestrutura para todos os atletas, com ótimo asfalto, não é um percurso monótono. Tem subidas e descidas, e o atleta de alta performance tem que ser apto em competições com diversas adversidades”, explicou Edson.

Interdições

Nos domingos e feriados, haverá o bloqueio de vias, das 5h30 às 8h30, para montagem e desmontagem das estruturas de apoio:

Avenida General Justo (pista sentido Túnel Prefeito Marcello Alencar) a partir do Trevo Estudante Edson Luís de Lima Souto

Avenida Alfred Agache em ambos os sentidos

Túnel Prefeito Marcello Alencar em ambos os sentidos

Avenida Rodrigues Alves em ambos os sentidos, entre o Túnel Prefeito Marcello Allencar e o acesso a Via B4, nas proximidades da Rodoviária Novo Rio.

Direção Avenida Brasil

· Motoristas poderão utilizar Avenida Presidente Antônio Carlos, Rua Primeiro de Março, Túnel Rio 450 e Via Binário do Porto

Direção Zona Sul

· Desvio será feito utilizando a Via B4 e a Via Binário do Porto

Nome é homenagem a ciclista que se acidentou durante treino

Marcos Hama é um ciclista e triatleta que se acidentou na rodovia Rio-Magé, em 2011, quando treinava para o Iron Man, uma das mais famosas e exigentes competições do circuito mundial do triatlo. Ele se chocou com a traseira de um ônibus que parou de repente na pista para pegar passageiros. Hama acabou batendo de cabeça no ônibus, o que causou lesões graves na coluna vertebral e o deixou paraplégico. Em seguida, Hama apresentou sintomas da Síndrome de Guillain Barré, distúrbio em que o sistema imunológico do próprio corpo ataca os nervos que conectam o cérebro a outras partes do corpo. Como consequência, seu quadro se agravou, e ele ficou tetraplégico.

Querido no meio ciclístico, Hama é o símbolo de uma luta por segurança para os ciclistas em geral e, em particular, para os que treinam desportivamente. Essa é a finalidade principal da criação de uma APCC: garantir contato zero das bicicletas com automóveis e permitir condições de segurança para os treinamentos, em áreas de circuito fechado, onde também os pedestres não fiquem expostos a riscos.

Texto e fotos: Ascom – Prefeitura do Rio de Janeiro

 

Reportar Erro
Send this to a friend