Combate a queimadas é tema de audiência em Porto Velho

Audiência pública foi promovida pelo vereador Edesio Fernandes (Republicanos), com o objetivo de buscar respostas do Poder Público

Publicado em 23/08/2019 - 00:00

Porto Velho (RO) – O vereador Edesio Fernandes (Republicanos) promoveu uma audiência pública na quinta-feira (22), com o objetivo de buscar respostas do Poder Público para a contenção das queimadas na floresta. Estiveram presentes o Coronel Gregório do Corpo de Bombeiros; o gerente de Operações Especiais da Defesa Civil, Rogério Félix; e o coordenador de Educação Ambiental da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Fábio França.

Edesio Fernandes, que é presidente da Comissão do Meio Ambiente na Câmara de Vereadores de Porto Velho, relatou em seu discurso a repercussão negativa em relação ao Estado de Rondônia devido à ignorância humana. “É triste o que estamos vendo em nossa região, Rondônia faz parte da Amazônia e estamos vendo tudo se degradar, precisamos de punição aos culpados e que se aplique de forma urgente os planos de contingenciamentos para sanar as queimadas”, disse.

Segundo o Coronel Gregório, os distritos da capital são os locais com maiores focos de incêndio e que o Corpo de Bombeiros já estão nos locais para amenizar os danos causados. “O que está em nosso alcance estamos fazendo, mas somos poucos, já começou o combate aos incêndios na mata através dos aviões, precisamos de apoio do Poder Público. A região florestal em Porto Velho é muito grande, maior do que as pessoas pensam, maior do que muitos estados brasileiros até”, explicou.

Já Fábio França relatou que o governo do estado está fazendo o que é necessário. Segundo ele, quem realizou estes atos de destruição da mata será punido. “A perícia passará nos pontos onde se iniciaram as chamas e dali começam as investigações para punir os culpados”, contou.

O vereador Edesio Fernandes pediu agilidade para sanar estes problemas: “Quanto mais ágil formos, menos a floresta será degradada”, disse.

Texto e foto: Ascom – vereador Edesio Fernandes
Edição: Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

Reportar Erro