Tia Ju participa da entrega de kits de beleza para mulheres vulneráveis

As beneficiadas são assistidas pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro

Publicado em 11/10/2020 - 08:44

Rio de Janeiro (RJ) – A deputada estadual Tia Ju (Republicanos-RJ) participou, na sexta-feira (2), da entrega de kits de beleza para mulheres que são assistidas pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro. Titular da Pasta, Tia Ju fez questão de reiterar a importância de cuidar, proteger e manter a autoestima dessas mulheres em dia.

“Viemos distribuir esses kits que foi uma doação das Lojas Americanas que tem uma parceria forte com a nossa Secretaria. A partir do momento que falamos de vocês, usuárias do nosso serviço, eles se prontificaram em ajudar doando esses itens de higiene pessoal para vocês se cuidarem ainda mais”, reiterou a republicana.

Nos kits tinham sabonetes, shampoos, condicionadores, esmaltes e absorventes. As beneficiadas são mulheres vítimas de violência doméstica ou que passam por algum tipo de vulnerabilidade social. A Tia Ju esclareceu ainda que “elas merecem a nossa proteção, nosso cuidado e, com certeza, merecem e necessitam dessa injeção de autoestima, agradeço demais a parceria de sucesso e que faz bem a tantas”, finalizou.

À frente da Secretaria, a republicana tem reforçado o trabalho necessário com pessoas que têm algum tipo de vulnerabilidade social. Ainda mais no período de pandemia, muitos precisam de ajuda. A republicana constatou o aumento da quantidade de pessoas em situação de rua e explicou que é ainda mais necessário que essas ações aconteçam para que o maior número de pessoas possa ser ajudado.

“A gente percebeu um aumento nessa população de rua, foi visível. Nesse crescimento, vemos uma diferença no perfil dessa população. Percebemos que alguns estão tentando acessar renda. E no fim de semana a configuração territorial muda, o que nos faz perceber que, nesse momento de pandemia, muita gente foi afetada financeiramente. E já temos uma vulnerabilidade social discrepante, isso se acentuou”, explicou.

 

Texto: Gabbriela Veras | Ascom Mulheres Republicanas Nacional
Fonte: Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro

Reportar Erro