Terça Para Mulheres: como conciliar trabalho e filhos em tempos de pandemia

Com a atividade econômica voltando ao normal, muitas mães ainda não sabem com quem deixar as crianças

Publicado em 30/06/2020 - 09:03

Brasília (DF) – A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) dificultou a rotina de muitas mães no Brasil. Com as escolas e creches ainda fechadas, muitas delas não têm com quem deixar os filhos pequenos para sair para trabalhar, já que, em alguns estados, o comércio está em processo de reabertura gradual. Entretanto, o problema não se restringe somente a isso, pois muitas mulheres não tem apoio da família ou moram distantes de seus familiares.

Segundo dados do IBGE de 2018, no Brasil há mais de 12 milhões de mulheres que são mães solo (sem cônjuge), com filhos de até 14 anos. Deste número, 7,8 milhões são mulheres negras, onde 63% delas estão em situação de pobreza.

Sabendo das dificuldades da mulher brasileira, as deputadas federais republicanas Rosangela Gomes (RJ), Aline Gurgel (AP) e Maria Rosas (SP) votaram, em março deste ano, a favor do projeto que garante à mulher chefe de família o direito de receber o auxílio emergencial de R$ 1,2 mil.

“A aprovação desse projeto é uma verdadeira ajuda para aquelas que têm que ficar reclusas em casa como medida de prevenção à Covid-19. O apoio às mães é mais do que necessário, visto que em muitas casas brasileiras somente as mulheres são a fonte de renda”, contou a líder do Mulheres Republicanas, deputada Rosangela Gomes.

Enquanto não é possível sair para trabalhar, muitas são as mulheres que tem investido em formas de ganhar dinheiro em casa. Vender doces caseiros, realizar um bazar online, criar um brechó virtual, fazer artesanato ou procurar por trabalhos de freelancer são algumas opções. Exemplo disso é a republicana Aline Santos, do Rio de Janeiro. “Eu tinha a costura como profissão mas parei. Com a diminuição da renda em casa, retomei os trabalhos e estou muito contente com o desempenho que tenho tido durante a pandemia”, concluiu. 

Texto: Elisa Costa / Ascom – Mulheres Republicanas
Foto destaque: Reprodução

 

Reportar Erro