No Recife, encontros virtuais marcam a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência

Idealizado pela vereadora professora Ana Lúcia, os encontros destacaram a importância da inclusão 

Publicado em 30/08/2020 - 08:44

Recife (PE) – Durante a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência, a vereadora Professora Ana Lúcia (Republicanos-PE) realizou encontros virtuais,  por meio de lives,  para destacar a importância da inclusão, e a trajetória de mães de crianças com deficiência, que por meio de seus exemplos, contribuem para que mais pessoas entendam a importância da temática.

A republicana, que também é secretária do Mulheres Republicanas Pernambuco, reforçou a importância da participação das mães no processo de desenvolvimento das crianças com deficiência e  do compromisso permanente com a inclusão. “Percebemos que as mães têm um papel fundamental no desenvolvimento  das crianças com deficiência, por isso elas precisam de apoio, precisam ser fortalecidas, não apenas em períodos específicos. Essa semana termina, mas a inclusão é uma responsabilidade social de todos e todas nós. Precisamos abraçar essa causa, não para nos autopromover mas para que possamos contribuir na construção de uma sociedade mais justa, precisamos continuar acreditando que a inclusão é possível e que nossa contribuição é essencial, independentemente do espaço que ocupamos”, comentou.

No último dia 25, a live contou com a participação da esteticista Zemile Kasala, com síndrome de down, que junto com a sua mãe, Laudiceia Kasala, compartilhou sua rotina, seus projetos de vida e ainda mandou um recado para quem acompanhava a conversa “Eu não sou a síndrome de  down, eu sou trissômica, e eu posso ser o que eu quiser”, disse.

Já na quinta-feira (27), a republicana conversou com Viviane Lima, mãe de Ana Victoria, Maria Luiza, e Júlia. Ana Victoria e Maria Luiza nasceram com microcefalia. Os desafios e o aprendizado no cuidado com as filhas levou Viviane a perceber que poderia, compartilhando sua experiência, ajudar outras mães de crianças com deficiência, e assim surgiu o movimento “Mães de Anjos Unidas”, que hoje conta com a participação de cerca de três mil mães em todo o Brasil e no exterior.

Viviane também atuou como secretária estadual da Pessoa com Deficiência no Amazonas. “Luto pela inclusão porque esse mundo que está aí, ele não é digno das minhas filhas. Quero ajudar a construir para elas, e para todas as pessoas com deficiência, um mundo menos hostil, com menos preconceito e dificuldades”, pontuou. Viviane também contou como começou a trajetória  da filha Ana Victoria, primeira modelo com microcefalia do mundo. “Não foi nada programado, recebemos um convite  para participar de um ensaio fotográfico sobre inclusão, e nesse ensaio, a Ana Victoria se revelou, seguiu os comandos do fotógrafo, se saiu muito bem. Essa foi uma forma dela me dizer o que ela queria fazer na vida, mas os trabalhos que ela realiza também estão relacionados com a causa”, completou.

Texto: Ascom – vereadora Professora Ana Lúcia
Edição: Gisele Rocha / Ascom – Mulheres Republicanas

Reportar Erro