Marituba terá “Patrulha Maria da Penha” como ferramenta de combate à violência contra a mulher

Município terá, ainda, uma delegacia especializada no atendimento à mulher

Publicado em 21/07/2021 - 08:00

Marituba (PA) – No último dia 15, no Fórum de Marituba, com a participação da prefeita Patrícia Mendes (Republicanos-PA), dos secretários municipais e representantes da Polícia Militar e da Câmara Municipal, foi discutida a implantação da “Patrulha Maria da Penha”. O projeto, de autoria do Tribunal de Justiça do Estado (TJE), visa acompanhar mulheres vítimas de violência doméstica e combatê-las, por meio de fiscalização das medidas protetivas, deferidas pelo juiz do Fórum municipal, Agenor de Andrade.

De acordo com Patrícia Mendes, o projeto auxiliará na diminuição dos casos desse tipo de violência. “Pretendemos amparar e dar segurança às mulheres de Marituba. Infelizmente, tivemos um feminicídio no município e afirmo que não vamos nos calar. Lutar por elas é um dos meus objetivos principais. Enquanto prefeita, lutarei para que casos como esse não se repitam. E, para isso, a Patrulha Maria da Penha é fundamental”, destacou a prefeita.

Para realizar o projeto, a Secretaria Municipal de Segurança Pública e Mobilidade Urbana terá uma viatura exclusiva, devidamente identificada, com três guardas municipais. Após a reunião, a prefeita adiantou que, em agosto, já está marcada uma reunião com o governador do Pará para tratar sobre a implantação de uma delegacia exclusiva para as mulheres, na qual serão tratados casos de feminicídio.

Sobre o projeto

A patrulha Maria da Penha é um projeto que atende mulheres vítimas de violência doméstica e familiar. Consiste na realização de visitas periódicas às residências para verificar o cumprimento das medidas protetivas de urgência determinadas pela Justiça e reprimir eventuais atos de violência. Ele visa possibilitar a implementação de políticas públicas focadas na prevenção e erradicação da violência doméstica e familiar contra a mulher.

Texto: Ascom – Prefeitura de Marituba
Edição: Ascom – Mulheres Republicanas
Foto: cedida

Reportar Erro
Send this to a friend