Fabiana Pessoa garante selo da Unicef para Arapiraca (AL)

A conquista do selo Unicef coloca a cidade como uma das que mais avançaram no quesito investimento à infância

Publicado em 01/01/2021 - 08:10

Arapiraca (AL) – Uma conquista para todos os moradores de Arapiraca. A prefeita Fabiana Pessoa (Republicanos) garantiu o selo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) para a cidade. O feito é uma iniciativa que visa reconhecer avanços reais e positivos na promoção, realização e garantia dos direitos das crianças e adolescentes nos municípios brasileiros.

A republicana disse que a garantia do selo é um sinal de que o trabalho da Prefeitura está seguindo pelo melhor caminho. “Esse reconhecimento internacional nos orgulha muito, pois mostra que o município vem trabalhando em todas as áreas em busca da melhoria da qualidade de vida dos arapiraquenses”, esclareceu Fabiana Pessoa.

Arapiraca, com isso, está entre os 14 municípios alagoanos que mais avançaram nas políticas públicas de educação, saúde e proteção à criança e ao adolescente.

Selo Unicef

O Selo UNICEF é uma iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) para estimular e reconhecer avanços reais e positivos na promoção, realização e garantia dos direitos de crianças e adolescentes em municípios do Semiárido e da Amazônia Legal brasileira.

Pra que serve

Ao aderir ao Selo UNICEF, o município assume o compromisso de manter a agenda de suas políticas públicas pela infância e adolescência como prioridade. A metodologia inclui o monitoramento de indicadores sociais e a implementação de ações que ajudem o município a cumprir a Convenção sobre os Direitos da Criança, que no Brasil é refletida no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). A adesão ao Selo UNICEF é espontânea.

O Selo UNICEF contribui para o alcance de 8 dos 17  Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), uma agenda global acordada por todos os Estados-Membros das Nações Unidas até 2030.

Texto: Gabbriela Veras | Ascom Mulheres Republicanas Nacional com informações da Unicef
Foto: reprodução 

Reportar Erro