Cresce a violência contra a mulher no Brasil

Dados com ocorrências de 2021 foram divulgados no Anuário de Segurança Pública

Publicado em 05/07/2022 - 14:04

Brasília (DF) – Foi divulgado, na última terça-feira (28), o 16º Anuário Brasileiro da Segurança Pública 2022. A publicação é feita pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e se baseia em dados ocorridos no ano de 2021, que são fornecidos pelas secretarias de segurança pública dos estados e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E os números não são nada bons em relação a violência contra a mulher. O levantamento mostra um aumento nos casos.

Segundo o documento, a cada minuto, oito mulheres sofreram algum tipo de violência no país. 56.098 foram vítimas de estupro no ano passado, um aumento de 4,2% nos casos. 75,5% das vítimas eram vúlneráveis. 61,3% tinham até 13 anos de idade e em 79,6% cos casos o criminoso era conhecido das violentadas. Já os casos de assédio foram 4.922, um crescimento de 2,3% e os de importunação sexual foram 19.209, 9% a mais em comparação a 2020.

Já o crime de feminicídio também teve um aumento no país. Foram registrados 1.341 casos no ano passado, com 68,7% das vítimas entre 18 a 44 anos. Dessas, 65,6% foram mortas dentro da própria casa e 62% eram negras. 81,7% desses crimes foram cometidos pelos próprios companheiros ou ex-companheiros que não concordavam com a separação do casal. Rio Grande do Sul e o Mato Grosso do Sul são os estados que registraram a maioria dos casos, cerca de sete casos por mil mulheres.

Pela primeira vez na história, o levantamento trouxe também os casos de perseguição ou salking. No total, foram 27.722 registrados. Os de violência psicológica contra o públuco feminino somaram 8.390.

Para a secretária nacional do Mulheres Republicanas, deputada estadual Tia Ju (Republicanos-RJ), os números ainda são um reflexo do isolamento social vivido por conta da pandemia de Covid-19, onde as famílias tiveram que ficar o tempo todo em casa. “Nós, parlamentares, que estamos na linha de frente no combate à violência contra a mulher, de dentro das câmaras e assembleias, na produção de leis para combater esse tipo de crime, temos a consciência que esse aumento exagerado dos números ainda vestígios do isolamento social. Mesmo diante de tantas leis e punições severas, é triste ver que o desrespeito e a violência de gênero só aumenta. Mulher, é muito importante denunciar atos de violência para que documentos como o Anuário possam servir de exemplo para a aplicação de políticas públicas. Você não está sozinha! Denuncie!!”, disse a parlamentar.

Denuncie

Caso você tenha sido vítima de algum tipo de violência doméstica ou queria denunciar um caso de outra mulher, entre em contato com a Central de Atendimento à Mulher, o (Disque 180). O número é 24 horas por dia, incluíndo finais de semana e feriados e pode ser usado tanto pela vítima quanto por deunciantes. A ligação é gratuita e será feita no mais absoluto sigilo. O canal ainda fornece diversas informações como os direitos da mulher e pontos de Delegacia da Mulher

Fonte: Anuário Brasileiro da Segurança Pública 2022 e Agência Brasil
Texto: Ascom Mulheres Republicanas
Foto: cedida

Reportar Erro
Send this to a friend