Todas as vidas importam!

Artigo escrito por Ossesio Silva, secretário nacional do Idosos Republicanos e deputado federal pelo Republicanos Pernambuco

Publicado em 08/04/2021 - 09:00

Desde o início da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), os idosos são considerados como “grupo de risco”, ou seja, que tem um prognóstico negativo no caso de infecção. Isso significa que além da existência do vírus, os idosos sentem e pagam um preço mais alto neste cenário de grave crise na saúde pública.

No Brasil, 74,2% dos mortos pela doença são idosos. A taxa é ainda maior na Itália (95,6%) e nos Estados Unidos (81,1%), segundo pesquisa feita pelo Poder360. Como se não bastasse, há quem defenda que a prioridade nos recursos para o combate à Covid-19 deve ser para os mais jovens, como no uso de leitos e respiradores. Há outros que afirma nas tribunas que “as vidas daqueles que viveram menos me preocupam mais”.

É justo que as pessoas idosas sejam consideram menos merecedoras do direito à vida e à saúde!? A título de exemplo, concorrendo ao mesmo leito em uma UTI uma pessoa jovem e uma pessoa idosa, qual delas teria preferência? Seria o primeiro que, em razão da sua juventude, poderiam viver mais, ou, o mais idoso, por ser responsáveis pela construção e evolução da nossa sociedade?!

Não podemos esquecer que estamos falando em vidas humanas, e ao priorizar uma faixa etária estaremos determinando, quem vive e quem morre. Seria isso justo?!

Independentemente da idade, devemos envidar esforços para melhorar o acesso das pessoas ao atendimento à saúde e assegurar os meios necessários para o cuidado adequado e digno de todos os pacientes, pois TODAS AS VIDAS IMPORTAM SIM. As vidas dos idosos merecem reconhecimento, atenção e mais respeito.

Artigo escrito por Ossesio Silva, secretário nacional do Idosos Republicanos e deputado federal pelo Republicanos Pernambuco

Reportar Erro
Send this to a friend