A frieza e ausência de limites de criminosos

Mensagem do Secretário Nacional do Idosos Republicanos, deputado federal Ossesio Silva

Publicado em 23/07/2020 - 09:30

No Brasil, a violência torna-se, cada vez mais, objeto de preocupação nacional. O sentimento das pessoas que vivem nos centros urbanos ou no campo é de medo e incertezas, diante da brutalidade de muitos homicídios, assaltos e delitos.

Em Turiaçu, no noroeste do Maranhão, um crime recente chocou o país. A sra. Maria Graça Cordeiro Mendes e sr. Jesuíno Cordeiro Mendes, pais do deputado federal Cleber Verde, foram assassinados de forma cruel, brutal e covarde.

A mãe foi morta com golpes de arma branca e a pauladas. Enquanto o pai, com tiros e arma branca. Como se não bastasse tamanha violência, causa perplexidade a ausência de limites e aparente frieza dos criminosos que praticam tais atos. Segundo o secretário de Segurança Pública do Maranhão, um dos envolvidos no crime declarou friamente que queria atirar em alguém durante o “assalto”.

Esta crueldade cometida contra os dois idosos indefesos é algo que, inevitavelmente, causa revolta e indignação. O prazer e o ódio em destruir o semelhante de forma dolorosa e hedionda, vem acompanhando as ações dos criminosos.

Crime como estes, em que as vítimas são idosos, constitui causa de aumento de pena prevista na parte especial do Código Penal (art. 121, § 4º), visto que, indubitavelmente, o criminoso encontra maior facilidade de cometer o delito devido a situação de fragilidade ou debilidade da vítima.

Consternado e imbuído de sentimentos de revolta, aguardo que sejam tomadas as medidas cabíveis e necessárias pelas autoridades competentes, para identificar e punir todos os envolvidos neste crime bárbaro.

*Mensagem do Secretário Nacional do Idosos Republicanos, deputado federal Ossesio Silva

Reportar Erro