Jovens, ainda dá tempo de votar em 2022!

Tia Ju reforça a importância do voto dos jovens eleitores. O prazo para o alistamento eleitoral termina no dia 4 de maio

Publicado em 20/04/2022 - 13:17

Olá, mulheres republicanas de todo o Brasil!

Como todas sabem, termina no próximo dia 4 de maio o prazo para regularizar a situação do título eleitoral junto aos TREs locais. Quem tiver que tirar uma segunda via, trocar de domicílio, regularizar títulos que estão cancelados podem fazer até mesmo on-line. Outra ação que pode ser tomada é a retirada do primeiro título eleitoral para quem tem a partir de 16 anos. E é nisso que quero me focar.

Faltando cinco meses para as eleições, o engajamento de jovens de 16 e 17 anos é o mais baixo já registrado pelo Tribunal Superior Eleitoral. Dados dão conta que até o fim de janeiro, apenas 731 mil jovens tinham se cadastrado como eleitores. Tudo bem que o voto nesta faixa etária é facultativo, mas, hoje, esse número representa somente 10% dos menores de idade aptos a votar e pouco menos de um quarto do total que foi às urnas três décadas atrás. A boa notícia para nós, mulheres, é que nesta procura, mais meninas que meninos têm tirado o título, demonstrando o interesse das mulheres na política.

Todo esse desânimo tem crescido a despeito dos esforços do TSE. Desde 2020, a Corte vem promovendo ações para incentivar a participação de jovens na política. Nas últimas eleições municipais, o tribunal lançou uma campanha para que cidadãos de 15 a 25 anos gravassem vídeos com sugestões de como melhorar suas cidades. A ideia era aumentar o número de votantes menores de 18 anos que, na época, foi de 914 mil.

No todo, menos de 1 a cada 5 adolescentes dessa faixa etária no país tirou o título até agora. Ao todo, mais de 1,051 milhão emitiram o documento, o que corresponde a 17,1% dessa população.

Em comparação com março de 2018, a queda é de 31%. Ela chega a 60% quando observado o número de adolescentes que se registraram para participar no pleito de 2004.

Naquele ano, eles chegavam a 2,3% do eleitorado, fatia que diminui desde então e pode ficar abaixo de 1% pela primeira vez.

E de onde vem esse desânimo dos jovens com o processo eleitoral já que o TSE vem fazendo campanhas no rádio e na TV, divulgando vídeos protagonizados por atores de aparência juvenil com mensagens de estímulo à participação nas eleições e explorando as redes sociais usando até podcasts?

Segundo analistas, são fatores estruturais que têm afastado os jovens das urnas.

Entre eles o envelhecimento de líderes partidários, a desconfiança no sistema político e falta de perspectiva de emprego e renda, deslegitimam a política.

Precisamos gerar, cada vez mais, estratégias para atrair este público para a política. Aqui no Republicanos, estamos sempre voltados a entender os anseios da juventude, seja pelo Jovens Republicanos, seja pelos outros movimentos que estão engajados com a direção nacional, que miram em uma agenda voltada para questões de interesse deste público.

Nós do Mulheres Republicanas temos a preocupação de mostrar, sempre, que a política partidária é a melhor via para buscar soluções coletivas. E vamos continuar fazendo isso para que mais jovens entrem na política, mais meninas se encantem pela política e, ao chegarem à idade da disputa eleitoral, que vejam no Republicanos o caminho para a transformação da sociedade através da política partidária.

Vamos juntas, vamos em frente, mas do que nunca não podemos esmorecer.

Um forte abraço, que Deus abençoe a todas e todos e contem sempre com a gente!

Mensagem da secretária nacional do Mulheres Republicanas, deputada estadual Tia Ju

 

Reportar Erro
Send this to a friend