A violência que não escolhe raça nem condição social

Mensagem da secretária nacional do Mulheres Republicanas, deputada federal Rosangela Gomes

Publicado em 30/12/2020 - 08:01

Olá, Republicanas!

Mais uma vez o Brasil se depara com mais um crime de feminicídio. Estamos assustadas com a crueldade do caso do assassinato covarde da Juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, morta a facadas pelo ex-marido. A magistrada foi morta na frente das filhas do casal, na véspera de Natal, no Rio de Janeiro. Viviane integrava a magistratura do Rio havia 15 anos. Atualmente, trabalhava na 24ª Vara Cível da capital.

De acordo com as autoridades, a  vítima solicitou a proteção e chegou a andar com escolta armada, mas acabou renunciando à medida por sentir “pena” do ex-marido. Infelizmente, esse caso não é isolado e muitas mulheres são assassinadas pelo mesmo motivo a todo o tempo. Mesmo sendo uma Juíza, toda mulher vítima de violência vive uma vulnerabilidade emocional, onde nesta fase acontecem a maioria dos crimes e agressões.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), 497 mil mulheres foram vítimas de feminicídio no Brasil neste ano de 2020. Os dados também apontam que uma mulher morre vítima de feminicídio a cada nove horas no País. Ao todo, segundo a ONU, 243 milhões de mulheres em todo o mundo sofreram violência sexual ou física nos últimos 12 meses.

Na Câmara Federal, nós, como mulheres e parlamentares, lutamos para inibir o crime e as agressões contra as mulheres, não só as físicas, mas qualquer tipo de violência. O caso da juíza teve uma grande repercussão na mídia, mas quantas outras mulheres foram assassinadas nestes últimos dias no Brasil? Até quando vamos continuar vendo nossas mulheres perdendo a vida de forma tão banal e cruel?

O Mulheres Republicanas se solidariza com a família da Juíza Viviane Vieira e com toda a sociedade que se sentiu atingida com o fato ocorrido no Rio de Janeiro. A situação mostra que todas as mulheres, de qualquer raça e classe social estão suscetíveis à violência. Não se cale, denuncie! Ligue 180 ou vá a qualquer delegacia.

Rosangela Gomes
Deputada Federal
Secretária Nacional do Mulheres Republicanas

Reportar Erro