Presidiários de São Paulo poderão ter assistência religiosa

De autoria do deputado estadual José Bittencourt (PRB-SP), projeto que estabelece capelania carcerária para reeducandos, internados e seus familiares foi aprovado na Alesp

Publicado em 09/03/2019 - 00:00

São Paulo (SP) – Reeducandos, internados e seus familiares, assim como os profissionais de segurança de todos os estabelecimentos do Departamento de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo, poderão ter acesso a serviço voluntário de capelania carcerária. É o que garante o Projeto de Lei nº 730/2012, de autoria do deputado estadual José Bittencourt (PRB-SP), aprovado no dia 26 de fevereiro no plenário da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

A capelania é um serviço de assistência espiritual para atendimento das necessidades de todos aqueles quer, por conta da situação em que se encontram (como presos em regime fechado), sentem-se impossibilitados de receber a prestação religiosa regular. O serviço estará subordinado à direção da unidade prisional.

“O objetivo é amenizar de alguma forma a vida sub-humana que levam nossos presos, pois o atual sistema carcerário não ajuda na recuperação de seus detentos. O que vemos são celas superlotadas, maus tratos e falta de uma palavra de conforto”, disse  José Bittencourt.

O voluntário que exercer o cargo de capelão deverá ministrar periodicamente um curso abrangendo orientações sobre ética, compromisso com a não violência, respeito à vida, solidariedade e relacionamento com profissionais de segurança, entre outros assuntos.

O projeto segue agora para sanção do governador.

Texto: Ascom – Alesp
Edição: Agência PRB Nacional
Foto: Ascom – deputado estadual José Bittencourt

Reportar Erro