Políticas públicas para fauna doméstica e silvestre foi tema de audiência

Políticas públicas para fauna doméstica e silvestre foi tema de audiência

Evento promovido pelo deputado José de Arimateia debateu políticas de proteção ao ecossistema adotadas em Minas Gerais, que o parlamentar trouxe como exemplo para a Bahia

Publicado em 06/12/2019 - 00:00

Salvador (BA) – Com o Plenarinho da Assembleia Legislativa da Bahia lotado, o deputado estadual José de Arimateia (Republicanos-BA), presidente da Comissão de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos da ALBA, promoveu nesta quinta-feira (05) a Audiência Pública em Defesa da Fauna Doméstica e Silvestre da Bahia. Em pauta, políticas públicas de proteção aos animais e ao ecossistema adotadas no estado de Minas Gerais, que o parlamentar trouxe como exemplo para a Bahia, após participar de duas discussões sobre os avanços e desafios da proteção animal em Minas Gerais no mês de agosto.

Considerando que na Bahia não há uma estrutura como em Minas Gerais, com uma coordenação específica para a fauna no nosso Ministério Público, e não há delegacias especializadas na proteção animal, o republicano quer o avanço das políticas públicas no estado. “Temos o mais grave impacto na fauna silvestre da Bahia com os incêndios na Chapada Diamantina. Tem também a vazão de esgoto bruto nas lagoas, que mata a fauna aquática. A educação ambiental poderia ser muito mais eficiente. É necessário mais empenho das escolas e apoio da Secretaria de Educação”, analisou.

Para apresentar o trabalho feito em terras mineiras, a Promotora do Ministério Público de Minas Gerais, Doutora Luciana Imaculada, apresentou os trabalhos realizados por ela à frente da Coordenação Estadual em Defesa da Fauna (CEDEF). “Depois que criamos essa Coordenação, verificamos um aumento no número de procedimentos no Ministério Público e um aumento na qualidade de atuação dos Promotores de Justiça na defesa da fauna. Hoje temos um centro irradiador de ideias que fomenta a atuação preventiva dos Promotores e de forma mais qualificada tecnicamente”, explicou a Promotora.

Participaram também do debate o Diretor de Regulação Ambiental do Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA), Leonardo Carneiro, a Coordenadora do Centro de Controle de Zoonozes de Salvador (CCZ), Andréa Salvador, o Supervisor do Grupo Especial de Proteção Ambiental (GEPA), Robson Pires, além do Comandante Claudemir, do Instituto de Proteção Ambiental (IPAM), protetores e militantes da causa animal de diversos municípios baianos, como Salvador, Ipirá e Itaberaba.

Texto e foto: Ascom -deputado José de Arimateia
Edição: Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

Reportar Erro