Republicanas debatem a necessidade da inserção da mulher na política

‘Escola de Formação de Candidatas Republicanas’ abre discussão sobre a importância da mulher no cenário político

Publicado em 21/05/2022 - 13:33

Brasília (DF) – Com as inscrições abertas da ‘Escola de Formação de Candidatas Republicanas’, pelo Mulheres Republicanas em parceria com a Fundação Republicana Brasileira, e a aproximação das eleições em outubro, as deputadas federais Maria Rosas e Rosangela Gomes, falaram sobre o papel da mulher na política e a necessidade da inserção da mulher neste cenário.

Diante do cenário atual, as mulheres encontram grandes dificuldades em ocupar espaços de poder, por diversas causas, como o preconceito e a rejeição durante as campanhas e mandatos. A não ocupação desses espaços deixam as políticas públicas para as mulheres enfraquecidas. No Brasil, são mais de 100 milhões de mulheres, com uma representatividade de 51,5% do eleitorado, mas ainda com pouca participação eleitoral. Na Câmara Federal, as mulheres ocupam 15% das cadeiras, já no Senado Federal o número é ainda menor: 12,4%.

O Brasil está na posição 154 no ranking da Inter-Parliamentary Union sobre representação feminina em parlamentos de 193 países. Estamos à frente somente de Países Árabes, do Oriente Médio e Ilhas Polinésias.

O Republicanos é um partido que além de fomentar a participação da mulher no ambiente político e nos espaços de poder, ele avança nos cursos de capacitação e qualificação política, para que a candidata seja apta a gerir um mandato.

A deputada federal, Rosangela Gomes, foi secretária nacional do ‘Mulheres Republicanas’ por quase 11 anos, onde iniciou os projetos do movimento na área de capacitação feminina. “Assim como a Tia Ju, que está a frente do movimento, levamos o curso de ‘Lideranças Femininas para o Brasil’. As políticas para as mulheres precisam ser pensadas por mulheres e essa é a questão. Mesmo com pouca representatividade, avançamos muito e queremos avançar mais. A iniciativa da ‘Escola de Formação de Candidatas Republicanas’ é mais um avanço no comprometimento dos Republicanos com a figura da mulher na política. Participem!”, disse Rosangela.

A secretária estadual do movimento feminino do partido, em São Paulo, Maria Rosas, também comemora a iniciativa e incentiva a participação das paulistanas. “Mais mulher na política resulta no fortalecimento da própria democracia, oportunizando um debate nacional mais rico em interesses, opiniões e perspectivas, aumentando, assim, as chances de alcançar consensos mais esclarecidos. A mulher representa força, coragem, superação e transformação. Meu papel é conscientizar e estimular mais mulheres para o meio político e, vejo cada vez mais mulheres engajadas nessa missão. Hoje, representamos 56 vereadoras, três prefeitas e quatro vice-prefeitas em São Paulo. Esse é o resultado de um trabalho duro para promover a inclusão das mulheres nas esferas políticas. A mudança no cenário da sub-representação feminina na política requer uma ressignificação e uma transformação estrutural na história de vida de cada uma delas, reforçando seus valores e direitos e oferecendo capacitação”, aponta a republicana.

A ‘Escola de Formação de Candidatas Republicanas’, explora técnicas atualizadas que auxiliam a coordenação de elementos essenciais na atividade política, desde firmar marca e posicionamento, a administrar redes sociais e conciliar o digital com lições primordiais no dia a dia. A inscrição e o conteúdo programático, estão disponíveis AQUI para mulheres filiadas ao Republicanos e que vão disputar as eleições de 2022. As vagas são limitadas e o curso é gratuito!

Texto: Ascom Mulheres Republicanas Nacional
Fonte: Senado Federal
Foto: reprodução da internet

Reportar Erro
Send this to a friend