Semana Republicana – 23 de novembro de 2019

O Semana Republicana traz a participação da mulher na política, recursos para os conselhes tutelares e combate à corrupção em São Paulo

Publicado em 25/11/2019 - 00:00

A secretária nacional de Políticas para Mulheres, Cristiane Britto, participou da abertura da Décima Quinta Reunião de ministras e altas autoridades da Mulher no Mercosul. O evento foi realizado na quarta-feira, dia 20, em Brasília.

Mostrando a força da bancada feminina do Republicanos, a abertura do evento contou com a participação das três deputadas federais do partido: Rosangela Gomes, do Rio de Janeiro, Aline Gurgel, do Amapá e Maria Rosas, de São Paulo.

A republicana Cristiane Britto frisou que é preciso ampliar a participação da mulher na política. Ela destacou que, nas eleições 2020, a meta é eleger pelo menos uma vereadora em cada município.

O evento marca o início de uma campanha nacional de 21 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres. Esta mobilização é promovida pela ONU e, no Brasil, começou no dia 20 de novembro e vai até o dia 10 de dezembro.

Em São Paulo, a Câmara Municipal aprovou o projeto de lei do vereador Rinaldi Digilio que proíbe a concessão de qualquer benefício fiscal para empresários condenados por corrupção.

O republicano defende que as empresa que causam prejuízos aos cofres públicos não podem receber descontos, fazer parcelamentos ou ter direito a compensações do Poder Público.

O projeto já tinha sido aprovado por duas comissões da Câmara e passou pela análise e votação do plenário. Agora, para virar lei em São Paulo, o projeto aguarda a sanção do Executivo Municipal.

Conhecido como o deputado amigo dos conselheiros tutelares, o deputado federal Márcio Marinho, do Republicanos Bahia, cobrou a liberação de recursos para os conselhos tutelares do Brasil.

Marinho falou durante a Sessão Solene de homenagem aos conselheiros tutelares, na Câmara dos Deputados, realizada na segunda-feira, dia 18. O republicano relatou as dificuldades enfrentadas pelos conselheiros no dia a dia do trabalho de proteção dos direitos da criança e do adolescente.

Muitos conselhos não têm sequer carro para atender os chamados e, em muitos casos, a situação de trabalho é precária.

Ele defendeu um debate nacional com o objetivo de buscar mais investimentos para os conselhos tutelares, além de propor projetos de lei que fortaleçam a atuação dos conselheiros.

Por Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

Reportar Erro