Projeto que combate pobreza menstrual é aprovado na Câmara

Severino Pessoa é um dos autores do PL que trata da distribuição de absorventes na rede pública de ensino

Publicado em 26/08/2021 - 17:33

Brasília (DF) – A falta de acesso às condições básicas de higiene durante o período menstrual é uma realidade para milhares de mulheres e meninas brasileiras. Visando reverter essa lógica, a Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (26) o Programa de Fornecimento de Absorventes Higiênicos (PFAH) nas escolas públicas de ensino médio e fundamental. A matéria aprovada inclui várias propostas, entre elas o Projeto de Lei 1547/2021, do deputado republicano Severino Pessoa (AL).

“Para nós é evidente que o acesso a absorventes higiênicos é um direito. Limpeza, autoconfiança e capacidade de realização no período menstrual é um requisito do alcance da dignidade e da equidade para as pessoas que menstruam”, argumentou Pessoa.

No mundo, uma em cada dez meninas deixam de ir à escola quando estão menstruadas. No Brasil, esse número é ainda maior, cerca de uma em cada quatro meninas – segundo dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). “Um dos objetivos da medida é diminuir a evasão escolar e dar condições para que as alunas se sintam confortáveis e seguras em sala de aula”, disse.

Outra consequência da “pobreza menstrual”, expressão que se refere a essa incapacidade de custear produtos (como absorventes) para lidar com o sangue menstrual, é a propagação de doenças. “Na falta dos produtos adequados, muitas mulheres passam a utilizar itens como papel e até plástico ou miolo de pão, o que invariavelmente causa infecções prejudicando ainda mais a saúde, além de gerar incômodo e constrangimento”.

O líder do Republicanos na Câmara, deputado Hugo Motta (PB), defende a participação masculina em defesa das pautas femininas. “Nós, homens, precisamos nos engajar em propostas que beneficiem o público feminino. A defesa da mulher é uma pauta da sociedade como um todo e não deve se restringir à iniciativa de deputadas e senadoras”, observou.

Texto: Fernanda Cunha, com edição de Mônica Donato / Ascom – Liderança do Republicanos na Câmara
Foto: Douglas Gomes 

Reportar Erro
Send this to a friend