Pará terá primeiro Centro Especializado em Autismo

Deputado federal Vavá Martins destinou uma emenda de R$ 400 mil para construção do Centro de Atendimento às Pessoas Autistas

Publicado em 28/09/2019 - 00:00

Belém (PA) – E uma ação pioneira no país para o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para pessoas com autismo,, o deputado federal Vavá Martins (Republicanos-PA), destinou o valor de R$ 400 mil em emenda parlamentar  para a criação do primeiro Centro Especializado de Atenção às Pessoas com Transtorno do Espectro Autista (Cetea) no Pará. Os recursos federais serão transferidos para a Secretaria Estadual de Saúde (Sespa).

O parlamentar reuniu-se, na semana passada, com o ouvidor-geral do Governo do Pará, Arthur Huat e com a professora da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFPA), Flávia Marçal, a servidora da Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon), Nayara Barbalho. Elas são mães de crianças com autismo e fizeram questão de destacar a importância de avançar em políticas públicas que atendam tais necessidades.

Segundo Nayara, o projeto do centro especializado é baseado na Lei Federal 12.764/2012, conhecida como Lei Berenice Piana, e que institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 1% da população mundial tenha autismo. Se replicar este número para o Estado do Pará, são mais de 80 mil pessoas que precisam de diagnóstico precoce e atendimento multiprofissional, além da inclusão social.

Para o deputado, esse é um grande avanço na causa “Quem Ama Cuida, cuida da saúde, das pessoas, das necessidades, busca melhorias que agreguem, que tragam esse acolhimento e o respeito que a causa merece, essa é uma grande vitória e me sinto honrado em conhecer mães batalhadoras e histórias incríveis”, disse Vavá Martins.

A inciativa irá proporcionar não só atendimento adequado, como também o acolhimento e formação das famílias, atendimento educacional especializado em autismo, a formação intersetorial com a participação de entidades, grupos e instituições na construção dessas políticas.

Texto e fotos: Natália Matos – Ascom/Deputado federal Vavá Martins
Edição: Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

Reportar Erro