Ossesio Silva se posiciona contra caso de racismo com taxista

Ossesio Silva se posiciona contra caso de racismo com taxista

Deputado repudiou e cobrou atuação da justiça no episódio em que mulher foi autuada em flagrante por injúria racial e desacato após ter dito a um taxista que “não andava com preto”

Publicado em 07/12/2019 - 00:00

Brasília (DF) – O deputado federal Ossesio Silva (Republicanos-PE) repudiou e cobrou atuação rigorosa da justiça no episódio em que Natália Burza Gomes Dupin, de 36 anos, foi autuada em flagrante pela Polícia Civil por injúria racial, desacato, desobediência e resistência, após ter dito a um taxista que “não andava com preto”. O caso aconteceu na quinta-feira (5), na Avenida Álvares Cabral, no bairro Santo Agostinho, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

O caso foi denunciado, primeiramente, pelo motorista Luis Carlos Alves Fernandes, de 51 anos, e tomou grande repercussão. Segundo a ocorrência, Luis Carlos, relatou que a mulher não poderia dizer aquilo, porque era crime. Ela teria respondido, “eu não gosto de negro, sou racista, sou racista mesmo”. A mulher ainda teria cuspido no pé dele.

Natália foi conduzida para a delegacia onde desacatou policiais. No boletim de ocorrência, há o relato de que um policial não conseguiu que a mulher preenchesse os dados, porque ela o teria ofendido por ser negro.

O deputado se solidarizou com o taxista Luis Carlos e repudiou fortemente o caso. “Ele é um trabalhador, um cidadão que paga seus impostos como qualquer outro e merece respeito. Enquanto não punirmos exemplarmente esses criminosos, cenas como essa vão se repetir. Infelizmente, ainda existe essa cultura racista que julga o caráter das pessoas pela cor da pele, até quando a população negra terá que passar por esse tipo de constrangimento? ”, destacou Ossesio Silva.

Texto: Thiago Gouveia/Ascom-deputado federal Ossesio Silva
Foto: Dougas Gomes
Edição: Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

Reportar Erro