Ossesio Silva participa de sessão solene sobre o autismo na Câmara dos Deputados

Ossesio Silva participa de homenagem ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo

Sessão solene realizada na Câmara dos Deputados foi proposta pela deputada federal Maria Rosas (PRB-SP)

Publicado em 04/04/2019 - 00:00

Brasília (DF) – Em apoio ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo, o deputado federal Ossesio Silva (PRB-PE) participou, na terça-feira (2), de sessão solene promovida pela Câmara dos Deputados para celebrar a data e chamar a atenção da sociedade para esta síndrome que afeta aspectos da comunicação e do comportamento de cerca de 2 milhões de brasileiros.

O republicano, que defende medidas em favor dos autistas, ressalta que este ano a Organização das Nações Unidas (ONU) vai debater o acesso dos autistas às tecnologias que lhes permitam melhorar a comunicação verbal. “Precisamos alavancar o uso de recursos que contribuam para proporcionar independência e inclusão das pessoas com autismo para que possam participar efetivamente da sociedade”, destaca Ossesio.

Segundo especialistas, o autismo é um transtorno global do desenvolvimento marcado por três características: inabilidade para interagir socialmente; dificuldade no domínio da linguagem para comunicar-se ou lidar com jogos simbólicos; e padrão de comportamento restritivo e repetitivo.

Dados do Center of Deseases Control and Prevention (CDC), órgão ligado ao Governo dos Estados Unidos, atualmente existe um caso de autismo a cada 110 pessoas. Dessa forma, estima-se que o Brasil, com seus 200 milhões de habitantes, possua cerca de 2 milhões de autistas.

 

Diagnóstico impreciso

Dados do núcleo da Universidade de São Paulo (USP) apontam que o diagnóstico para identificar o autismo ainda é impreciso. O núcleo explica que existe uma busca, no mundo todo, para entender quais são as causas genéticas do autismo. Dessa forma, como não é possível afirmar geneticamente as causas do autismo, é usado o diagnóstico baseado em observação do paciente, que geralmente apresenta sintomas como dificuldade de comunicação, além de comportamento repetitivo.

Portadores do espectro autista apresentam graus diferentes de comprometimento de intensidade, desde dificuldade de interação social até retardo mental.

Por lei desde 2012, o indivíduo com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) passou a ser considerada pessoa com deficiência, para todos os efeitos legais. O que confere à essas pessoas o direito ao acesso a benefícios públicos, a fim de melhorar a sua qualidade de vida, já que apresentam graus diferentes de comprometimento de intensidade, desde dificuldade de interação social até retardo mental.

Texto e foto: Priscylla Damasceno / Ascom – deputado federal Ossesio Silva
Edição: Agencia PRB Nacional

Reportar Erro