Maria Rosas avalia como produtivo seu primeiro ano de mandato

Maria Rosas avalia como produtivo seu primeiro ano de mandato

Parlamentar defendeu proposições relacionadas à pessoa com deficiência, educação, direitos das crianças, mulheres e recebeu demandas da sociedade civil, prefeitos e vereadores de SP

Publicado em 19/12/2019 - 00:00

Brasília (DF) – A deputada federal Maria Rosas (Republicanos-SP) avalia 2019 como um ano produtivo e faz balanço de sua atuação. No primeiro ano de mandato, a parlamentar defendeu proposições relacionadas à pessoa com deficiência, educação, direitos das crianças e das mulheres, fortaleceu relações diplomáticas, recebeu demandas da sociedade civil, prefeitos e vereadores da capital paulista e indicou emendas impositivas para o Estado de São Paulo.

Ao todo, 42 municípios do Estado de São Paulo se beneficiarão diretamente com as emendas impositivas. Com o recurso serão construídas Unidades Básicas de Saúde, adquiridos equipamentos e crianças terão o apoio de transporte escolar.

“Serão 15 instituições atendidas com as emendas nas áreas da saúde e cidadania, buscando suprir as necessidades da população e a infraestrutura das cidades. Milhares de famílias serão alcançadas”, destacou.  A deputada também viabilizou recursos para 10 kits do Conselho Tutelar, que irão atender crianças e adolescentes em áreas de maior violência e vulnerabilidade no estado de São Paulo.

Já na área legislativa, Maria Rosas defendeu 50 proposições. Entre elas, 43 de sua autoria e sete relatadas. A parlamentar atuou em 10 importantes comissões como vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, membro da Comissão de Educação e da Comissão Permanente Mista de Combate à Violência contra a Mulher. No Plenário, participou de 308 votações nominais e realizou vários discursos em defesa dos valores da família.

No gabinete da Câmara dos Deputados Maria Rosas recebeu prefeitos, vereadores, secretários municipais, representantes de instituições, cidadãos da sociedade civil e ainda, fortaleceu as relações diplomáticas com embaixadores da Quênia, Bélgica, Estados Unidos e Suécia, no qual a deputada é presidente do Grupo Parlamentar de Amizade.

“Existem mais de 220 empresas suecas no Brasil, que empregam cerca de 60 mil pessoas. Apesar dos números serem bastante expressivos, acreditamos que as relações entre Brasil e Suécia têm potencial para alcançar patamares muito maiores. É por isso que reinstalamos esse grupo”, observou.

A parlamentar também esteve em reuniões com o presidente Jair Bolsonaro, ministros e secretários de governo para debater a primeira infância e a violência doméstica.

Maria Rosas participou de 18 seminários e reuniões, como a Conferência Nacional da Alfabetização, Fórum Paulista de Entidades e III Encontro Nacional de Juízes e Juízas Negros e ministrou diversas palestras. Entre elas, para conselheiros tutelares e para entidades do Terceiro Setor.

Em São Paulo

Em São Paulo, por meio do gabinete itinerante, foram realizados 5.714 atendimentos. “São serviços como orientações jurídicas, segunda via de documentos, visitas e encaminhamentos para hospitais e outras instituições, esclarecimento de dúvidas da população e toda a assistência social necessária”, explicou.

A deputada participou de caminhadas de prevenção ao suicídio e cuidados com a saúde e realizou visitas aos municípios do Estado de São Paulo para ouvir as demandas dos prefeitos e da população. “Visitamos instituições como escolas, universidades e casas de apoio que trabalham com as causas da pessoa com deficiência, idosos, crianças e violência contra a mulher”, disse.

Maria Rosas esteve à frente da coordenação do movimento Mulheres Republicanas do Estado de São Paulo, onde realizou palestras, encontros e caminhadas, incentivando a participação feminina na política.

“É importante que as mulheres se conscientizem que, fazendo política, ampliamos nossos direitos, nossa liberdade e as possibilidades de realização para o bem comum. Sem representatividade feminina nas instâncias de Poder, a democracia não se fortalece. É na relação entre ideias e presença que as mulheres podem depositar as melhores esperanças de encontrar um sistema mais justo, concluiu”.

Ascom – deputada federal Maria Rosas
Edição: Agência Republicana de Comunicação (ARCO)

Reportar Erro