Hélio Costa defende integração das polícias nas fronteiras

Republicano participou de audiência pública que discutiu a proposta de criação da Guarda de Fronteira

Publicado em 18/09/2019 - 00:00

Brasília (DF) – Na terça-feira (17), durante audiência pública na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, na Câmara dos Deputados, que discutiu a proposta de criação da Guarda de Fronteira, o deputado federal Hélio Costa (Republicanos-SC) contestou o teor da matéria. Para o parlamentar, é preciso dar ênfase na especialização e integração das polícias. “A integração passa pela iniciativa da criação de uma força-tarefa nas fronteiras. É necessário aumentar o contingente de cada carreira e injetar recursos para o policiamento de fronteiras em todo o país”, disse o parlamentar.

Hélio Costa também ressaltou a importância do trabalho efetivo na divisa com os países sul-americanos, em especial Bolívia, Peru e Paraguai. “Todos os dias o Brasil recebe um caminhão de drogas que vem de cidades peruanas, bolivianas e paraguaias. Recursos pra segurança pública existem e eles precisam ir da mesma forma para o combate desses traficantes que atravessam a fronteira”, ressaltou.

O deputado lamentou a ausência de representantes da Polícia Rodoviária Federal na audiência. O equívoco foi reconhecido pelo autor do requerimento, o deputado federal Subtenente Gonzaga. “A PRF é a instituição que mais apreende nas estradas e pelo país. Deveriam estar aqui conosco debatendo as fronteiras. Infelizmente não foi convidada”, disse.

A proposta de criação da Guarda de Fronteira, apresentada em 2011, ainda não avançou na análise da Câmara dos Deputados, embora já tenha sido arquivada e desarquivada em duas legislaturas. A matéria, da ex-deputada Antônia Lúcia, estabelece que a Guarda de Fronteira será composta por integrantes das polícias Federal e estaduais e das guardas municipais de cidades fronteiriças.

Pelo texto, a guarda seria organizada pelo governo federal e financiada pela União, pelos estados e pelos municípios. Entre as atribuições do novo órgão constam, além do patrulhamento ostensivo da faixa de fronteira, a apuração de infrações penais ocorridas nessas localidades.

Texto: Ascom – deputado federal Hélio Costa
Foto: Douglas Gomes

Reportar Erro