Hélio Costa analisa projeto que altera Lei de Improbidade Administrativa

“Projeto apresenta um teor positivo, mas é preciso endurecer as penas e ter mais fiscalização e controle do que determina a legislação”, diz deputado

Publicado em 13/09/2019 - 00:00

Brasília (DF) – Durante reunião na quarta-feira (11) na Comissão Especial que está deliberando sobre a atualização da Lei de Improbidade Administrativa, o deputado federal Hélio Costa (Republicanos-SC) fez a primeira análise da matéria. De acordo com o parlamentar, o Projeto de Lei nº 10.887/2018 apresenta um teor positivo, mas é preciso endurecer as penas e ter mais fiscalização e controle do que determina a legislação. “A proposta é muito boa, mas ao longo do tempo serão necessários alguns ajustes, o que faz parte. Eu vejo com bons olhos a atualização da Lei de Improbidade Administrativa desde que se tenham penas mais duras e um controle maior das práticas de gestão pública”, disse.

O ministro do Superior Tribuna de Justiça (STJ), Mauro Campbell, integrou a mesa da reunião da Comissão Especial e destacou a importância do debate sobre a Lei de Improbidade Administrativa.

Hélio Costa analisa projeto que altera Lei de Improbidade AdministrativaA proposta estabelece que caberá ao Ministério Público propor ações de improbidade administrativa, assim como a aprovação de eventuais acordos com os envolvidos. Já as ações de ressarcimento continuam de titularidade do ente público lesado. Desta forma, o texto atende às posições defendidas pelo Ministério Público Federal.

O ato de improbidade administrativa é aquele que implica em enriquecimento ilícito ou vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo público. Nos últimos dez anos, segundo dados do Conselho Nacional de Justiça, houve no Brasil mais de 18,7 mil condenações por improbidade administrativa transitadas em julgado nos tribunais federais e estaduais.

Texto: Vandrei Bion / Ascom – deputado federal Hélio Costa
Fotos: Will Schutter

 

Reportar Erro