Eleições: cidades seguras serão desafio para prefeitos

Artigo escrito por Maria Rosas, deputada federal pelo Republicanos São Paulo

Publicado em 12/11/2020 - 08:59

Reduzir a violência, enfrentar o crime e aumentar a sensação de segurança entre os cidadãos serão os principais desafios urbanos que os novos prefeitos terão de encarar a partir de 1º de janeiro de 2021, quando assumirem o cargo. O levantamento foi feito com base nas propostas das propagandas eleitorais e nos debates entre candidatos a prefeito.

A segurança pública é um dos gargalos comuns da grande parte das maiores cidades brasileiras, e desta vez, vem como uma bandeira fortemente defendida. O assunto não costumava ser um dos principais focos das eleições municipais, mas agora, passou a ocupar lugar central nos debates.

No entanto, é importante estar atento às campanhas. Muitos candidatos prometem solução para os problemas do setor – às vezes, extrapolando as atribuições do cargo. Ao pesquisar em quem votar, o eleitor deve observar o programa de governo dos candidatos como um todo, considerando aspectos além da segurança pública. Está ao alcance dos municípios executar políticas de segurança comunitária e de fortalecimento dos canais de apoio às vítimas de violência, bem como programas educativos sobre drogas e igualdade entre homens, mulheres e raças e de apoio a reinserção de egressos do sistema prisional.

Defendo que o principal papel das prefeituras e câmaras municipais em termos de segurança pública ainda é investir em prevenção. A execução de políticas sociais de saúde, educação e assistência social pelos municípios é fundamental para prevenção e enfrentamento da criminalidade e aumento da sensação de segurança.

Além da segurança, outro desafio está relacionado à queda de arrecadação de impostos com a pandemia de Covid-19, a demanda reprimida no serviço de saúde por causa da quarentena, a expansão da malha de transporte público e o crescimento da população em situação de rua.

Hoje, o Brasil tem 5.570 municípios, dos quais apenas 49 tem mais de 500 mil habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 17 deles, a população ultrapassa 1 milhão de pessoas. Só as 27 capitais concentram 50 milhões de habitantes, o que equivale a quase 24% de toda a população brasileira em 2020.

O primeiro turno das eleições ocorrerá no dia 15 de novembro, que vai escolher um novo prefeito ou reeleger antigos mandatários nestes municípios. O segundo pleito está previsto para o dia 29 do mesmo mês.

Maria Rosas é deputada federal pelo Republicanos São Paulo

Reportar Erro