Projeto proíbe distribuidora de obrigar a adotar relógio de luz digital

Economia: Silas Câmara aposta em investimentos no setor de energia

Deputado do PRB afirmou que pelo comportamento do mercado, os principais movimentos econômicos do país estão justamente na área de energia, gás e petróleo

Publicado em 10/07/2019 - 00:00

Brasília (DF) – O diretor da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Décio Oddone, participou de audiência pública, na Comissão de Minas e Energia (CME) da Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (9). O evento teve o objetivo de debater a atuação da autarquia e aconteceu por iniciativa do presidente do colegiado, deputado federal Silas Câmara (PRB-AM), e dos deputados Léo Moraes, Christino Aureo e Arnaldo Jardim.

Silas Câmara explica o porquê do evento e comenta a relevância do setor para o crescimento do Brasil. “Pelo comportamento do mercado, percebemos claramente que os principais movimentos econômicos do país estão justamente na área de energia, gás e petróleo. A expectava é muito grande, inclusive do governo”, disse.

Economia: Silas Câmara aposta em investimentos no setor de energia

Durante sua explanação, Décio Oddone argumentou que os preços altos de combustíveis desconectam o Brasil em relação ao mercado mundial e dificultam investimentos. “Esse alinhamento de valores é fundamental para o sucesso e integração da indústria brasileira às cadeias produtivas globais”, comentou. O diretor da agência defende que é preciso promover uma competição justa para os preços caírem, e, por isso, a ANP tem trabalhado no combate à sonegação de impostos e fraudes tributárias.

Oddone também falou sobre o Pré-Sal, que, segundo ele, até 2030, deve gerar R$ 1,7 trilhão em investimentos na indústria de exploração de petróleo e gás. “A arrecadação potencial, até 2054, é estimada em mais de R$ 5,6 trilhões e as verbas que as empresas destinam à pesquisa, desenvolvimento e inovação, que hoje são quase R$ 2 trilhões, podem chegar à média de R$ 3 trilhões”, disse.

Para Oddone, o Brasil está vivendo uma “absoluta mudança” de patamar na exploração de petróleo. “A produção, atualmente na faixa de 2,7 milhões de barris por dia, pode chegar aos 7 milhões. As exportações, que estão na média de 1 milhão de barris por dia, devem alcançar mais de 4 milhões, além da criação de 60 novas plataformas de petróleo, gerando emprego de alta qualidade, com remunerações de quatro a sete vezes maiores do que a indústria convencional”, ressaltou.

Silas Câmara observou o interesse do colegiado em buscar diálogo com o Executivo e contribuir para a legislação do segmento no sentido de impulsionar o mercado. “É de interesse da Comissão de Minas e Energia saber quais serão os próximos passos do setor e as medidas do governo para fomentar o desenvolvimento”, finalizou.

Texto: Fernanda Cunha, com edição de Mônica Donato / Ascom – Liderança do PRB
Fotos: Douglas Gomes

Reportar Erro