Acompanhados, vamos mais longe

O seu direito acaba onde começa o dos outros

Não aceitaremos calar os professores, interferir no trabalho realizado, mas é preciso que saibam que há critérios que devem ser seguidos como em qualquer profissão

Publicado em 26/11/2018 - 00:00

Os brasileiros acompanham o processo de transição para a organização do próximo governo. Jair Bolsonaro tem intensificado o trabalho, focado na escolha de nomes que comporão os ministérios, além de sinalizar preocupação com áreas fundamentais, como a educação, tendo anunciado o filósofo colombiano Ricardo Vélez Rodriguez como o futuro ministro da Educação. Torcemos pelo êxito da escolha de todos os ministros. Em relação à Educação, creio ser fundamental e urgente mudanças para que possamos atender as necessidades dos estudantes, professores e profissionais da área. Pensar nas políticas públicas é imprescindível, como é importante repensar a Educação de maneira urgente.

Entre os desafios do futuro ministro Rodriguez, o programa Escola Sem Partido é uma proposta que dará atenção à forma de se ensinar, combaterá os abusos da liberdade deste ensino. O objetivo é levar conhecimento aos alunos de seus direitos, conscientizá-los para que possam fazer valer os seus direitos dentro das salas de aula.

Não é possível que os professores promovam os seus próprios interesses, opiniões, preferências ideológicas, religiosas, políticas e partidárias na sala de aula. Eles já conhecem os seus direitos e deveres previstos na Constituição Federal, e já são obrigados a respeitá-los, embora muitas vezes, não o façam e cometam excessos.

A questão é importante e promete ainda muitas polêmicas, mas nós, do Partido Republicano Brasileiro, sabemos que é uma discussão indispensável. Não aceitaremos calar os professores, interferir no trabalho realizado, mas é preciso que saibam que há critérios que devem ser seguidos como em qualquer profissão.

Por outro lado, há que se ter atenção à estrutura dada aos professores, aos baixos salários, à má formação, à falta de investimentos em suas carreiras. Não podemos ser hipócritas, pois são questões que estão interligadas. Creio que nesta questão vale muito o dito popular: “O seu direito acaba onde começa o dos outros”. É um tema que envolve ética, valores e comprometimento.

Cremos que o momento é de nos reinventarmos, de brigarmos para acertar. Temos que admitir: em nosso país, alguns costumes errôneos se tornam facilmente lugar comum, prejudicando a população. Para os políticos do nosso partido será uma satisfação participar deste momento de mudança.

Na última terça-feira (20), foi assinado, em Brasília, o convênio entre a Prefeitura de São Joaquim da Barra (SP) e a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), que liberou R$ 4 milhões para a troca de 30% da tubulação de água do município, que ainda é de amianto. A assinatura teve a presença do presidente nacional do PRB, deputado federal eleito Marcos Pereira, que articulou a celebração do convênio quando ainda era ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Nós, do PRB, temos compromisso com a população Brasil afora. Sabemos da nossa responsabilidade e dever de ajudar, em particular os municípios, muito atingidos pela crise econômica que se instalou no país. Sigamos juntos.

Senador Eduardo Lopes
Presidente Nacional do PRB (Exercício)

 

Reportar Erro
Send this to a friend