Prefeitura investe R$ 17 mi na ampliação do sistema de coleta mecanizada em Caxias do Sul

Para Daniel Guerra (PRB), o investimento demonstra o compromisso da administração com as pessoas, buscando melhores resultados por meio de uma gestão eficiente

Publicado em 01/12/2018 - 00:00

Prefeitura investe R$ 17 mi na ampliação do sistema de coleta mecanizada em Caxias do Sul
A Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul (Codeca) comprará mais 2.780 contêineres, entre verdes e amarelos

Caxias do Sul (RS) – O prefeito Daniel Guerra (PRB) anunciou, na quarta-feira (28), o investimento de R$ 17 milhões na ampliação da coleta mecanizada na região central, bairros, perimetrais e BR-116 em Caxias do Sul. A divulgação foi feita em coletiva de imprensa no Centro Administrativo Municipal. A Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul (Codeca) comprará mais 2.780 contêineres, entre verdes e amarelos. A ação trará cobertura total a mais seis bairros, às perimetrais e à BR-116. Isso fará a cidade dar um salto na qualidade da limpeza de resíduos orgânicos e seletivos, passando dos atuais 40% para 70% do volume recolhido por meio desse sistema. Também haverá aquisição de cinco caminhões de coleta lateral e dois lava-contêiner. A coleta mecanizada orgânica e seletiva nos novos pontos também será feita de forma diária.

Os bairros contemplados integralmente são: Rio Branco, Floresta, Medianeira, Cinquentenário, São Leopoldo e Villagio Iguatemi. Também receberão os equipamentos as perimetrais Norte (BR-116 até a rua Moreira César), Oeste (Casa de Pedra até o viaduto Campo dos Bugres) e Sul (viaduto Campo dos Bugres até a avenida São Leopoldo). Já na BR-116, os trechos beneficiados serão entre Ana Rech e a UCS, e do viaduto do bairro Bela Vista até a avenida São Leopoldo.

Haverá cobertura parcial, com ampliação das áreas atendidas, nos bairros São José, Cruzeiro, Bela Vista, Salgado Filho, Kayser, Esplanada, Santa Catarina (incluindo Santa Lúcia, Colina Sorriso e Jardim Itália) e Marechal Floriano. Atualmente, há coleta mecanizada total nos bairros Centro, Nossa Senhora de Lourdes, Cristo Redentor, São Pelegrino, Petrópolis, Exposição, Panazzolo, Pio X, Universitário, Madureira, Jardim América, Jardelino Ramos e Sagrada Família. Além desses, o loteamento Campos da Serra seguirá com recolhimento conteinerizado parcial.

Para Daniel Guerra, o investimento demonstra o compromisso da administração com as pessoas, buscando melhores resultados por meio de uma gestão eficiente. “Isso atesta o trabalho competente e o profissionalismo da equipe da Codeca. Se fosse fácil, teria sido feito em anos anteriores. O cenário econômico como um todo é difícil, mas não podemos ficar inertes diante dessa situação. Quando há o comprometimento com a melhora do atendimento prestado ao cidadão, se encontra soluções”, enfatiza o prefeito republicano.

O cronograma de trabalho prevê a publicação do edital de licitação e certames no primeiro semestre de 2019. A colocação dos equipamentos nas perimetrais e BR-116 está prevista até dezembro do próximo ano e extensão completa nos bairros até outubro de 2020. “É bom salientar que esse avanço não significará demissões de funcionários, mas melhorias nas condições de trabalho para os coletores”, destaca a diretora-presidente da Codeca, Amarilda Bortolotto. Nesse contexto, a comunidade também tem papel importante. “As pessoas precisam colaborar com os investimentos que estão sendo feitos. Isso se dá separando adequadamente os resíduos e retirando das lixeiras tradicionais para colocar nos contêineres. Haverá um ganho em saneamento como um todo”, salienta.

A ampliação complementará uma série de investimentos iniciados em 2017. No ano passado, a Codeca comprou três caminhões compactadores, no valor de R$ 1,1 milhão. Em 2018, já foram adquiridos um semi-reboque, um trator agrícola e mais três caminhões compactadores, totalizando R$ 1,3 milhão, e uma mini-carregadeira, que está em licitação. A verba para execução da nova fase de conteinerização virá de aporte do Município e de recursos do mercado financeiro.

Benefícios da implantação

As melhorias que esse sistema traz estão no ganho ambiental devido à redução do chorume nas ruas; ausência de animais disputando resíduos; prevenção da proliferação de vetores de doenças, como os roedores; além de redução do mau cheiro. Consequentemente, essa ampliação implica em benefícios à saúde pública e crescimento no Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana (Islu), no qual Caxias do Sul apareceu em 5º lugar dentre as cidades mais limpas do país em 2017. “Possivelmente conseguiremos saltar para os primeiros postos após a implantação desses contêineres novos. Estimamos que o volume total de resíduos coletados diariamente nesse método atinja 130 toneladas”, explica Amarilda.

Medidas de fortalecimento econômico

A atual administração vem promovendo uma série de ações de gestão a fim de resgatar a estabilidade financeira da Codeca. Em 2017, a empresa fechou o ano com déficit de R$ 7 milhões, reflexo da administração do ano anterior. Esse número poderia ter chegado a R$ 16 milhões, não fossem ações de economia implementadas ao longo do ano. Houve redução de 56% nas horas extras, sem alterar a qualidade do serviço, além do corte de 65% dos cargos comissionados, revisão de contratos e ações internas de manutenção de equipamentos. Assim, foi possível manter em dia a folha de pagamento, os compromissos com fornecedores e viabilizar ações de investimento, como o projeto apresentado acima.

Em 2017, a Codeca também ampliou a oficina de manutenção e recuperação de contêineres, a fim de evitar o desperdício das estruturas danificadas por atos de vandalismo ou acidentes. Além do reaproveitamento de peças em bom estado, os servidores também aumentaram o número de equipamentos recuperados. As reformas significam economia, já que um contêiner seletivo custa em média R$ 1,8 mil e um de lixo orgânico fica na ordem de R$ 6 mil. Somado a isso, por meio de uma campanha educativa, houve queda de 44% nos casos de vandalismo.

Os resultados financeiros negativos da Companhia são históricos e vêm de gestões anteriores. Em 2004, por exemplo, o déficit foi de R$ 4,5 milhões (valores da época sem correções). Já os balanços dos últimos cinco anos revelam uma diferença entre os desempenhos dos dois departamentos da empresa: o Departamento de Limpeza Urbana (DLU), que é superavitário; e o Departamento de Construção Civil (DCC), que acumula déficit. Enquanto o faturamento bruto, no período, foi de R$ 473,4 milhões, o DCC registrou prejuízo de R$ 25 milhões.

É na intenção de resgatar esse setor que a prefeitura firmou contrato para execução de uma série de obras na cidade, dentre as quais a construção da rótula da Codeca e o asfaltamento das estradas Arziro Galafassi (Linha Sebastopol) e João Edgar Jung (estrada dos romeiros). Os negócios somam mais R$ 38 milhões para a Companhia.

Texto: Ascom – Prefeitura de Caxias do Sul
Fotos 1 e 3: Acervo Codeca
Foto 2: Mateus Argenta

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

Reportar Erro