Aroldo Martins debate legalização fundiária com representantes de ONG

Aroldo Martins debate legalização fundiária com representantes de ONG

Em reunião com diretores da WWF-Brasil, deputado republicano reforçou compromisso na defesa do agricultor, especialmente para beneficiar a agricultura familiar

Brasília (DF) – O deputado federal Aroldo Martins (Republicanos-PR) debateu, na terça-feira (3), com diretores da Organização Não Governamental (ONG) WWF-Brasil, o teor da Medida Provisória 910/19, que trata da “regularização fundiária das ocupações incidentes em terras situadas em áreas da União”.

O republicano é membro da Frente Parlamentar da Agricultura e da Comissão da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural na Câmara dos Deputados e tem se empenhado na defesa do agricultor, especialmente em matérias que possam beneficiar a agricultura familiar de subsistência, projetos que visam a paz no campo e estimulam a produção rural do país.

Aroldo Martins apoia o fomento para a regularização fundiária de ocupações que estão há décadas em terras devolutas.

“É necessário encontrar alternativas para aplicar a legalização fundiária para as terras da União. Estamos debruçados sobre a MP 910, e queremos apreciar a matéria para um fim satisfatório. Isso vai estimular a produção rural, dar legalidade aos produtores e diminuir os conflitos e a violência pela posse de terras. Precisamos manter o diálogo com o governo federal e também com a sociedade civil organizada, como é o caso da WWF-Brasil. Na minha opinião a Câmara não vê como matéria para fechar-se a toque de caixa e na atual conjuntura é necessário mais debates e entendimento. Devemos aprofundar o debate ou poderemos ter problemas no futuro, ” resumiu o republicano.

O diretor da ONG, Raul Silva Telles, entregou ao deputado um estudo feito pela instituição que salienta algumas ressalvas à MP 910.

“A aprovação da MP 910, da forma que foi editada, pode piorar a situação e aumentar a possibilidade de conflitos no país. Por exemplo, no estado do Pará existe cerca de 97% de sobreposição de cadastros, registrados na Base Ambiental Rural, que mostra a situação fundiária no Brasil. Tem lugares que tem mais de quatro cadastros, e já virou um instrumento para a disputa da terra e até tentativa de grilar novas áreas. Porque não há vistoria. E a MP 910 prevê titular automaticamente, sem vistorias até 15 módulos, que na Amazônia representa 1.500 hectares”, justificou o diretor da WWF-Brasil.

Acompanharam o diretor da instituição, durante o debate, o advogado e a analista da organização, Marcelo Marques Spinelli e Clarissa Presotti.

 

Texto e foto: Márcia Caetano/Ascom – deputado federal Aroldo Martins
Edição: Agência Republicana de Comunicação (Arco)

 

REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O Republicanos está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@republicanos10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Rosangela Gomes (Republicanos-RJ):

E-mail (clique aqui)
ou
(61) 3215-5438

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Republicanos

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal Republicanos?

pautas@republicanos10.org.br

RECEBA NO SEU E-MAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest

Receba as novidades do PRB no seu e-mail

Boletim 10: enviado às segundas-feiras. Não enviamos spam.