Parlamentar comenta nova pesquisa sobre autismo

Líder do PRB alerta que o diagnóstico precoce tem resultados mais satisfatórios no tratamento

Publicado em 10/12/2012 - 00:00

Parlamentar comenta nova pesquisa sobre autismo
Líder do PRB alerta que o diagnóstico precoce tem resultados mais satisfatórios no tratamento

São Paulo (SP) – Recentemente, pesquisadores da Brown University, nos EUA, perceberam que o choro dos bebês de 6 meses pode, juntamente com outras características, demonstrar o risco de autismo. Durante a pesquisa, cientistas gravaram o choro de 39 crianças dessa faixa etária, dessas 21 eram mais predispostas ao autismo porque tinham um irmão mais velho com o transtorno.

A pesquisa demonstrou que o choro dos bebês que possuem irmãos com autismo eram mais elevados e agudos que os outros. Para o deputado estadual Gilmaci Santos, líder do PRB na assembleia e autor de um projeto sobre o tema, os resultados podem ser muito úteis no tratamento. “Quanto mais cedo detectado o autismo, mais chances o indivíduo tem de conviver bem com o transtorno”, disse.

Quando as crianças do estudo completaram 3 anos de idade, três delas foram diagnosticadas com autismo. Quando bebês, as três eram as que possuíam o choro mais alto e agudo de todas. Para Gilmaci a descoberta pode ser utilizada junto com outras. “Felizmente, as pesquisas científicas sobre o autismo vêm aumentando em todo o mundo, isso traçará novos métodos de tratamento”, disse. O deputado apresentou em 2008 dois projetos sobre o tema: o PL 550, que institui a Semana da Conscientização de Autismo, e a Lei de Proteção à Pessoa Portadora do Autismo (PL 549/2008).

Texto e foto: Amanda Fischer – Ascom deputado Gilmaci Santos

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

Reportar Erro