‘Nudes’: da diversão ao crime

'Nudes': da diversão ao crime

Você já deve ter ouvido por aí a palavra ‘nudes’, uma gíria dada às imagens contendo nudez em poses sensuais, eróticas e sexuais. Compartilhar nudes pela internet, via redes sociais, tornou-se uma prática comum, uma diversão, principalmente entre os jovens. Mas quando essas imagens são de crianças e adolescentes, essa prática torna-se um crime.

O ‘sexting’, como é chamado o compartilhamento ilegal de imagens sexuais de crianças e adolescentes, está previsto nos artigos 240 e 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), com pena de 4 a 8 anos de prisão, além de multa. Assim como o abuso e a exploração sexual infantil, o sexting também é um tema pouco debatido na sociedade, nas escolas e nas famílias. Então, fique sabendo que esse crime tem feito muitas vítimas no Brasil.

Em 2018, o Disque 100 recebeu 281 denúncias de ‘sexting’, ou seja, crianças e adolescentes que foram expostas de maneira criminosa na internet com imagens sexuais. Entre janeiro e abril deste ano, foram 54 casos registrados.

Como parlamentar, é meu dever discutir o tema com todos os segmentos da sociedade. As leis são duras contra quem produz, recebe, armazena, divulga, distribui e compartilha conteúdos sexuais de crianças e adolescentes, porém, reprimir esse crime é impossível, porque não há como monitorar os celulares das pessoas.

Por tratar-se de uma questão de comportamento, a saída é educar. É preciso envolver as escolas, as famílias, as igrejas, as ONG’s, as entidades e o poder público em campanhas contra o compartilhamento de imagens sexuais de crianças e adolescentes. É preciso orientar os jovens antes que eles cometam um crime e destruam a reputação de outras pessoas.

Eu acredito que essas campanhas educativas precisam envolver também as plataformas digitais, das empresas de telefonia celular aos provedores de aplicativos. Essa é a proposta do Projeto de Lei nº 1591/2019, de minha autoria, que obriga as operadoras de telefonia móvel a promoverem campanhas informativas contra o compartilhamento de ‘nudes’.

Em audiência pública na Câmara dos Deputados, o representante das empresas de telefonia móvel alegou que enviar mensagens de SMS seria pouco efetivo para atingir o público, porém, não apresentaram uma solução alternativa convincente. Para nós, é vital que as empresas de telefonia móvel sejam socialmente responsáveis, promovendo campanhas contra o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes. Afinal, o sexting é um tipo de violência contra os nossos jovens.

*Roberto Alves é deputado federal pelo PRB São Paulo

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

VER TODOS OS ARTIGOS
REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O PRB está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@prb10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Rosangela Gomes (PRB-RJ):

E-mail (clique aqui)
ou
(61) 3215-5438

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Partido Republicano Brasileiro

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal PRB?

pautas@prb10.org.br

RECEBA NO SEU E-MAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest

Receba as novidades do PRB no seu e-mail

Boletim 10: enviado às segundas-feiras. Não enviamos spam.