Ireuda Silva quer homens mobilizados pelo fim da violência contra a mulher

Ireuda Silva quer homens mobilizados pelo fim da violência contra a mulher

“A mobilização dos homens pelo fim da violência contra a mulher é uma obrigação moral”, defende a vereadora Ireuda Silva

Salvador (BA) – A presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher na Câmara de Salvador, a vereadora Ireuda Silva (Republicanos), acredita que o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, nesta sexta-feira (06), é crucial para lembrar que não apenas a parcela feminina da sociedade deve estar engajada na luta contra esse problema que gera milhões de vítimas todos os anos.

A data foi instituída no Brasil após decreto de 20 de julho de 2007, como referência a um episódio que abalou o mundo. Em 6 de dezembro de 1989, um jovem canadense de 25 anos entrou em uma sala de aula da Escola Politécnica de Montreal, no Canadá, e matou 14 mulheres, que segundo ele não deveriam cursar Engenharia, uma “profissão masculina”. Após o atentado, o atirador se suicidou.

Revoltados com o fato, um grupo de homens canadenses criou, à época, a Campanha do Laço Branco, com o objetivo de promover a igualdade de gênero e alertar para as consequências do machismo.

“A mobilização dos homens pelo fim da violência contra a mulher é uma obrigação moral. Só nós, mulheres, é que sabemos a dor que é viver em um mundo onde o preconceito mata milhares de nós todos os anos, nos exclui e tenta nos aprisionar em jaulas de anulação e submissão. Quem diz que é ‘mimimi’ é porque é insensível e egoísta, que não faz o menor esforço para sair da bolha de privilégios em que está e olhar para o sofrimento alheio com um pouco de solidariedade”, disse Ireuda.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil registra, a cada quatro minutos, pelo menos uma agressão a mulher. Em 2018, foram registrados mais de 145 mil casos de violência, incluindo física, psicológica e sexual. Esse número não inclui o número de assassinatos. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), foram contabilizados 4.936 casos de feminicídio no país em 2018.

“Devemos lembrar sempre que o número pode ser maior, já que muitos assassinatos de mulheres não são registrados como feminicídio. Ainda existe uma resistência de certas autoridades em relação a isso — em entender que existe uma diferença muito grande quando uma mulher é assassinada por motivações de gênero. Quantos homens são assassinados por terem nascido homens?”, questiona a republicana.

Texto: Ascom – vereadora Ireuda Silva
Foto: Leone Serafim
Edição: Agência Republicana de Comunicação (Arco)

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal Republicanos? É muito simples. A Agência Republicana de Comunicação (Arco) disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@republicanos10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O Republicanos está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@republicanos10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Rosangela Gomes (Republicanos-RJ):

E-mail (clique aqui)
ou
(61) 3215-5438

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Republicanos

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal Republicanos?

pautas@republicanos10.org.br

RECEBA NO SEU E-MAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest

Receba as novidades do PRB no seu e-mail

Boletim 10: enviado às segundas-feiras. Não enviamos spam.