Frente parlamentar viaja o Brasil contra a violência sexual infantil

Frente parlamentar viaja o Brasil contra a violência sexual infantil

Frente parlamentar é liderada pelo deputado federal Roberto Alves (Republicanos-SP)

A Frente Parlamentar Contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes está completando mais um ano de intensa atividade. Instalada em 2015 na Câmara dos Deputados, ela deixou de ser apenas uma liderança nas discussões sobre a violência sexual infantil dentro do parlamento federal para se tornar uma caravana, que vem percorrendo cidades do interior do estado de São Paulo, levando informações sobre os perigos do abuso e da exploração sexual para as crianças e adolescentes, bem como as consequências para as famílias.

O desafio, segundo o presidente do colegiado, deputado federal Roberto Alves (Republicanos-SP), tem levado o debate sobre tema para outros estados brasileiros, criando, assim, uma corrente em defesa da infância, envolvendo a Câmara dos Deputados, assembleias legislativas e câmaras municipais.

Para Roberto Alves, há urgência na discussão sobre a violência sexual infantil, pois os números não param de subir. Dados do Disque 100 apontam que, em 2018, 18,5 mil crianças e adolescentes foram vítimas de violência sexual, principalmente abuso. O mais grave é que 80% dos casos de abuso sexual ocorreram dentro da casa das vítimas e os abusadores foram parentes ou pessoas de confiança da família.

Outro desafio, disse o parlamentar, é a luta contra o sexting – compartilhamento ilegal de imagens pornográficas envolvendo crianças e adolescentes, um crime que vem fazendo milhares de vítimas no Brasil. Em entrevista à Agência Republicana de Comunicação (Arco), Roberto Alves faz uma avaliação dos trabalhos realizados pela Frente Parlamentar Contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e traça planos para 2020.

Arco – Como avalia o trabalho da Frente Parlamentar Contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes em 2019?
Roberto Alves – Neste ano, eu destaco o reconhecimento dos deputados federais ao trabalho realizado pela Frente Parlamentar Contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, especialmente, o apoio dos parlamentares da bancada republicana. Graças a eles, a o colegiado foi a diversos estados brasileiros, ajudou na instalação de outras frentes parlamentares e participou de audiências públicas e de mobilizações, tanto em capitais quanto em cidades do interior. Assim, vamos formando uma grande corrente em defesa da infância, mobilizando o Brasil inteiro contra o abuso e a exploração sexual infantil.

Arco – Em quais lugares a frente parlamentar esteve?
Roberto Alves – Como presidente da frente, estive em Belém, participando de uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Pará, que abordou o tema violência sexual infantil, juntamente com o deputado estadual Fábio Freitas, também do Republicanos, que vem realizando um trabalho excepcional em defesa das crianças e adolescentes. Foi em Belém que me deparei com a triste informação de que crianças e adolescentes estariam sendo trocados por combustível. Isso é triste e lamentável, pois mostra que as crianças e adolescentes das regiões remotas do nosso país são as mais vulneráveis. Também fui a Curitiba, no Paraná, onde participei de uma audiência pública na Assembleia Legislativa, a convite do colega deputado federal Aroldo Martins e do deputado estadual Alexandre Amaro. Foi um evento memorável, com a presença de diversas autoridades locais. No próximo dia 12 de dezembro, estarei em Goiânia, participando de uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Goiás, que irá discutir o abuso e a exploração sexual infantil, a convite do deputado estadual Jeferson Rodrigues. Além destas cidades, prosseguimos com a nossa caravana, percorrendo os municípios paulistas, realizando audiências públicas nas câmaras municipais e mobilizações nas ruas e praças, sempre com o objetivo de chamar a atenção do poder público local e das famílias sobre os perigos da violência sexual e das consequências desse crime para as famílias.

Arco – Na Câmara dos Deputados, quais pautas são prioridade?
Roberto Alves – Ao longo do ano, trabalhamos firmemente em projetos de lei voltados à proteção das crianças e adolescentes na internet. O compartilhamento ilegal de fotos e vídeos sexuais envolvendo crianças e adolescentes, crime conhecido como sexting, está aumentando a cada dia, fazendo milhares de vítimas em todo o país, alimentando as redes de pornografia infantil que operam na internet das sombras. De um lado, estivemos trabalhando pela aprovação do projeto de lei que obriga as empresas de internet a armazenar e transferir dados de usuários, por um período amplo, para fins de investigação de crimes contra crianças e adolescentes. Isso irá ajudar o trabalho da polícia e do Poder Judiciário nas investigações contra as redes de pedofilia na internet. De outro, estamos trabalhando pela aprovação de projetos de lei que obriguem as empresas de telefonia e provedores de aplicativos de redes sociais a promoverem campanhas informativas contra o abuso sexual infantil. Já que essas plataformas têm um grande volume de acesso por parte do público infantojuvenil, acredito que eles também têm o dever de promover ações de responsabilidade social, contribuindo com a prevenção contra a violência sexual infantil, dentro e fora da internet, divulgando telefones de denúncia e de emergência.

Arco – Em sua avaliação, a frente parlamentar está cumprindo o seu papel?
Roberto Alves – Sim. A frente parlamentar conseguiu movimentar o tema violência sexual infantil dentro da Câmara dos Deputados e nas assembleias e câmara municipais, por meio dos parlamentares republicanos. Somamos a nossa força ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, no sentido de fomentar as discussões dentro do parlamento federal e buscar soluções para combater o crime. Hoje, estamos trabalhando lado a lado com a ministra Damares Alves, em uma parceria profícua. Estamos prontos para ajudar no que for necessário.

Arco – Qual a melhor maneira de combatermos a violência sexual infantil?
Roberto Alves – Primeiramente, é preciso falar. Quanto mais a sociedade discutir, se mobilizar e agir, todos nós estaremos atentos e vigilantes. A informação gera orientação, e orientação leva à prevenção. Esse é o caminho. A missão da Frente Parlamentar Contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes tem sido chamar a atenção do poder público e da sociedade, promovendo o debate sobre a violência sexual infantil. E com isso, fazer com que todos estejam vigilantes e cuidadosos com as nossas crianças, dentro e fora de casa, inclusive na internet.

Arco – O que a sociedade precisa entender sobre a violência sexual infantil?
Roberto Alves – A violência sexual infantil envolve todos os tipos de violações sexuais contra crianças e adolescentes – o abuso, a exploração, a chantagem (grooming) e o compartilhamento de imagens pornográficas (sexting). O abuso sexual é o crime mais recorrente, com 80% dos registros feitos ao Disque 100. O estarrecedor é que a maioria das vítimas têm idade entre 4 e 11 anos. Quando a ministra Damares esteve na Câmara dos Deputados para falar sobre a reformulação do serviço Disque 100, ela chamou a atenção para um dado alarmante: 70% dos crimes de abuso sexual infantil ocorreram dentro da casa das vítimas, sendo que os principais abusadores foram pais, mães e padrastos. Ou seja, a criança vem sendo vítima de abuso sexual no lugar onde deveria estar mais segura e por aqueles que deveriam ser seus super-heróis.

Arco – E o que fazer diante desses casos?
Roberto Alves – A denúncia é o primeiro passo para tirar o abusador de circulação. Encorajar as pessoas a denunciarem tem sido uma das missões da frente parlamentar. Mas sabemos que esta é uma decisão difícil de ser tomada. Em muitos casos, o criminoso é o chefe da família, o esteio financeiro, ou alguém de muita credibilidade. Ouvimos relatos de que a vítima é desmentida pela própria família e até expulsa de casa após contar o crime. A nossa luta é para ajudar a mudar essa realidade. Não podemos permitir que o futuro de uma criança seja jogado no lixo por causa de um abuso sexual. Quem tem que ter a vida mudada para pior é o abusador e não a criança. Uma criança abusada precisa de todo apoio e de atenção. Por isso, precisamos trabalhar para melhorar as condições de acolhimento nos conselhos tutelares, delegacias, hospitais e instituições filantrópicas. Eu costumo dizer que a luta contra o abuso sexual infantil se baseia em três ‘D’ – detectar, dialogar e denunciar. Ou seja, é preciso estar atento aos sinais no corpo ou no comportamento da criança. Em casos suspeitos, é importante dialogar com a criança, a fim de descobrir a verdade. Por último, denunciar, para que o criminoso seja preso, doa a quem doer.

Arco – O que o Congresso Nacional precisa fazer para avançar nesta luta?
Roberto Alves – A Câmara dos Deputados e o Senado Federal precisam trabalhar juntos pelo aprimoramento das leis que regem a defesa e a proteção das crianças e adolescentes. Precisamos trabalhar em duas áreas: 1) o encaminhamento de recursos para o pleno funcionamento das instituições que atuam na defesa e proteção das crianças e adolescentes, como os conselhos tutelares, Ministério Público, delegacias especializadas, entre outros; 2) colocando em discussão e votação propostas que tornem ainda mais rigorosas as leis contra quem comete crimes sexuais contra crianças e adolescentes.

Texto e fotos: Carlos Eduardo Matos / Ascom – deputado federal Roberto Alves
Fotos: 2 e 3: Douglas Gomes – Liderança do Republicanos na Câmara
Edição: Agência Republicana de Comunicação (Arco)

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal Republicanos? É muito simples. A Agência Republicana de Comunicação (Arco) disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@republicanos10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

LEIA TODAS AS ENTREVISTAS DA SEMANA
REPORTAR ERRO

Informar erro

COMPARTILHE

FALE CONOSCO

O Republicanos está de portas abertas para ouvir você

Sugestões, críticas, dúvidas e elogios

faleconosco@republicanos10.org.br

FALE COM O PARLAMENTAR

Nesta semana, envie sua mensagem para a deputada federal Rosangela Gomes (Republicanos-RJ):

E-mail (clique aqui)
ou
(61) 3215-5438

QUEM É QUEM

Conheça as lideranças do Republicanos

CONFIRA

EU REPÓRTER

Deseja indicar uma matéria para sair aqui no Portal Republicanos?

pautas@republicanos10.org.br

RECEBA NO SEU E-MAIL

Enviamos para seu email os destaque da semana.
Faça parte do Boletim 10!

Respeitamos seu email. Não gostamos de SPAM.

Você foi inscrito com sucesso!

Pin It on Pinterest

Receba as novidades do PRB no seu e-mail

Boletim 10: enviado às segundas-feiras. Não enviamos spam.