Em Salvador, Marcos Jorge destaca ações pela competitividade industrial

Ministro participou de evento em comemoração aos 70 anos da Federação das Indústrias da Bahia e do Sesi/BA

Publicado em 10/04/2018 - 00:00

Em Salvador, Marcos Jorge destaca ações pela competitividade industrial
Ministro participou de evento em comemoração aos 70 anos da Federação das Indústrias da Bahia e do Sesi/BA

Salvador (BA) – O ministro Marcos Jorge (PRB) afirmou que o governo federal está comprometido com a abertura ao comércio internacional e com os processos relacionados ao comércio exterior, bem como com o aumento da produtividade e das taxas de inovação na indústria. “Estamos cientes de que as medidas desenvolvidas pelo MDIC neste governo levarão à melhora de todo o ambiente de investimentos do Brasil”, disse, a uma plateia de empresários e convidados que participaram da comemoração dos 70 anos da Federação das Indústrias da Bahia e do Serviço Social da Indústria (Sesi) do estado. O evento também contou com a presença do presidente Michel Temer.

O ministro destacou o trabalho desempenhado pelas duas instituições e fez um especial agradecimento ao Sesi da Bahia pela parceira no programa Brasil Mais Produtivo. “Foi aqui, no Campus Integrado de Manufatura e Tecnologia (Cimatec) do Senai, em Salvador, que foram treinados os consultores do Brasil Mais Produtivo, programa coordenado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e que tem o Senai como parceiro fundamental. Por isso, além de parabenizar o Sesi da Bahia pelos 70 anos, o governo federal precisa também agradecer pelo excelente resultado nesta parceria em prol do desenvolvimento econômico do país”, disse Marcos Jorge.

O programa, que tem o objetivo de aumentar em pelo menos 20% a produtividade das empresas participantes, num período curto de tempo, já superou a meta inicial. A média nacional do “Brasil Mais Produtivo” até o momento está em 52% de aumento de produtividade em cerca de 2,8 mil empresas atendidas. Na Bahia o aumento médio de produtividade também foi alto, chegando a 41% para 159 empresas de diversos setores. Foram beneficiados fabricantes de móveis, alimentos, bebidas, roupas, calçados, e produtos do setor metal mecânico.

Indústria 4.0

“O acesso ao mercado externo é um fator de produtividade, mas não atua sozinho. Trabalhar a forma de produzir internamente também é nossa prioridade”, continuou Marcos Jorge, informando que foi lançada, durante a edição latino-americana do Fórum Econômico Mundial, no último mês de março, em São Paulo, as bases da política para a indústria do futuro – a Agenda Brasileira para a Indústria 4.0 –, “com enorme potencial de propiciar um salto no nível de desenvolvimento do nosso país”, informou. “Não queremos ser coadjuvantes desse momento, mas atores importantes desse processo”, afirmou o ministro.

Marcos Jorge também enfatizou sua atuação no MDIC. “Antes de assumir este cargo, atuei junto ao ministro Marcos Pereira como secretário-executivo da Pasta. Assim, posso dizer que já acumulo quase dois anos de intenso trabalho com a missão de melhorar o ambiente de negócios no Brasil, bem como aumentar a participação do país no comércio internacional de bens e de serviços”, lembrou ele.

O ministro disse, ainda, que, apesar dos desafios que precisam ser enfrentados, está certo de que a gestão do MDIC no atual governo contribuiu para criar as bases para a retomada do crescimento econômico e do emprego. “Tivemos um superávit recorde de 67 bilhões de dólares em 2027. Isto ajudou a reduzir o déficit nas contas externas, que, segundo o Banco Central, tiveram, em 2017, o melhor resultado em dez anos. As importações do Brasil também aumentaram e tiveram crescimento de quase 10% no ano passado. Principalmente em função da compra de insumos e equipamentos industriais. Sinal do reaquecimento da economia brasileira”, afirmou.

Atividade industrial

O ministro citou também os últimos dados do IBGE que apontam para a retomada da atividade industrial. A indústria brasileira acumula alta de 4,3% no primeiro bimestre, frente aos primeiros dois meses de 2017. Foi o maior crescimento para esse período desde 2011, segundo o IBGE. Além disso, Marcos Jorge enfatizou a importância do setor automotivo para a retomada da atividade industrial. “Em 2017, a indústria automotiva foi responsável por mais da metade do crescimento de 2,5% na produção industrial geral, após três anos de queda”, destacou.

Na Bahia, a produção automotiva também é motor do desenvolvimento da economia regional. “Aqui perto, a cerca de 50 km de Salvador, está o Polo Industrial de Camaçari, onde a fabricação de veículos responde por mais de 50% dos empregos diretos”, disse.

Texto e foto: Ascom – MDIC

Eu repórter republicano

Quer ser um repórter republicano e ver sua matéria publicada no Portal PRB? É muito simples. A Agência PRB Nacional disponibiliza um contato direto para receber todo o conteúdo (textos e fotos). Anote aí o e-mail: pautas@prb10.org.br. Viu como é fácil? Agora é só participar e nos ajudar a manter esse canal sempre atualizado.

Reportar Erro
Send this to a friend