Republicanos se mobilizam pela prevenção ao suicídio durante o Setembro Amarelo

Deputados Hugo Motta, Maria Rosas e Roberto Alves manifestaram apoio à campanha de prevenção ao suicídio que ocorre em todo mundo durante este mês

Publicado em 07/09/2021 - 09:30

Brasília (DF) – Os deputados republicanos Hugo Motta (PB), Maria Rosas (SP) e Roberto Alves (SP) manifestaram apoio ao Setembro Amarelo 2021, campanha de prevenção ao suicídio que ocorre em todo mundo durante este mês.

Médico, o deputado Hugo Motta chama atenção para a valorização da vida. Ele ressaltou o trabalho do Centro de Valorização à Vida (CVV), que recebe ligações gratuitas pelo número 188.

Deputado Hugo Motta/Foto: Douglas Gomes

“Se você estiver passando por um momento complicado ou conhece alguém que precise de ajuda para lidar com algum transtorno mental, não hesite em buscar ajuda. O Centro de Valorização da Vida atende de forma gratuita as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, pelo telefone 188. Sua vida e os seus problemas importam”, escreveu em sua rede social o parlamentar e líder do Republicanos na Câmara.

A deputada e professora Maria Rosas destacou que o suicídio ocorre mais entre os jovens, motivo pelo qual ela ressalta a importância da campanha Setembro Amarelo 2021 de esclarecimentos e apoio às pessoas com sinais de comportamentos suicidas.

Deputada Maria Rosas/Foto: Douglas Gomes

“Precisamos disseminar a conscientização sobre a valorização da vida, realizando apoio emocional e prevenção do suicídio. Os dados de morte por esta causa no Brasil e no mundo são alarmantes. Segundo a pesquisa mais recente da Organização Mundial da Saúde (OMS), é a quarta causa de óbito entre os jovens de 15 a 29 anos, ficando atrás apenas dos acidentes de trânsito. Nossa atenção à prevenção do suicídio é ainda mais importante agora, depois de muitos meses convivendo com a pandemia de Covid-19, com muitos dos fatores de risco para suicídio, como a perda de emprego, estresse financeiro e isolamento social”, alerta a deputada.

Segundo estudo realizado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), 17% dos brasileiros já pensaram alguma vez em se matar. Segundo a OMS, 9 em cada 10 casos poderiam ser evitados se o suicida tivesse buscado ajuda e se as pessoas à sua volta identificassem os sinais de que algo errado estava acontecendo. Quebrar o tabu sobre o tema e informar sobre formas de prevenir o suicídio são o foco da campanha Setembro Amarelo deste ano, iniciada na quarta-feira (1º).  A campanha é uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), da Associação Brasileira de Psiquiatria e do Conselho Federal de Medicina.

Índices de suicídio

Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2021, divulgado em julho pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, revelam que o número de suicídios no Brasil em 2020 foi de 12.895, com variação de apenas 0,4% em relação a 2019, quando foram registrados 12.745 casos. Os estados que apresentaram maior número, repetindo o ano anterior, foram São Paulo, Minas Gerais e Porto Alegre, nessa ordem. A tendência no país é de alta: em 2012, foram 6.905 casos.

Deputado Roberto Alves/Foto: Douglas Gomes

“O Setembro Amarelo é uma importante campanha de prevenção ao suicídio. Todos os anos são registrados centenas de mortes por conta de suicídio. Dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde no mês de junho revelam que, em 2019, mais de 700 mil pessoas morreram no mundo como resultado de suicídio. É preciso investir em políticas públicas que previnam esse mal. Não podemos ignorar esse grave problema de saúde pública. Nesse momento de pandemia, diversos fatores podem influenciar para tal desfecho, como, perda de emprego, estresse financeiro e isolamento social. Portanto, é fundamental que todos fiquem em alerta com as pessoas que estão à sua volta. Não se isole e se for necessário procure ajuda sempre”, recomendou o parlamentar.

Suicídio no Mundo

A Organização Mundial da Saúde divulgou em junho deste ano dados sobre suicídio e pediu esforço dos países para diminuir as taxas até 2030

Mundo

Entre 700 mil e 800 mil pessoas morrem por suicídio no mundo a cada ano;

Faixa etária

De 15 a 29 anos é a faixa etária na qual o suicídio foi a quarta causa de morte mais frequente, depois de acidentes de trânsito, tuberculose e violência;

Público

12,6 a cada 100 mil homens morrem por suicídio. Em comparação com as mulheres, são 5,4 por cada 100 mil;

– As taxas de suicídio entre homens são geralmente mais altas em países de alta renda (16,5 por 100 mil). Para mulheres, nos países de baixa-média renda (7,1 por 100 mil);

Renda

79% dos suicídios no mundo ocorrem em países de baixa e média renda;

– As taxas de suicídio caíram 36% nos 20 anos entre 2000 e 20129, variando de 17% na região do Mediterrâneo Oriental a 47% na região europeia e 49% no Pacífico Ocidental. Nas Américas, as taxas aumentaram 17% no mesmo período.

Texto: Agência Republicana de Comunicação – ARCO, com informações da OMS e Organização Panamericana de Saúde (Opas)
Foto: Banco de imagem Freepik

 

Reportar Erro
Send this to a friend