Seminário on-line transmitido ao vivo pela FRB debate engajamento juvenil na política

Parceria da FRB com o PRB Juventude mobilizou militantes de todas as regiões do país

Publicado em 14/08/2017 - 00:00

Brasília (DF) – Realizado por ocasião do Dia Nacional da Juventude, comemorado no sábado (12), o seminário on-line “Política: se eu não participar, que falta faz”, mobilizou a militância jovem do Partido Republicano Brasileiro (PRB) de várias partes do país. O evento, transmitido ao vivo para os inscritos, via YouTube, pela Fundação Republicana Brasileira (FRB), contou com a audiência de internautas das cinco regiões geográficas.

Na abertura, o presidente da FRB e coordenador nacional do PRB Juventude, Renato Junqueira, explicou o caráter agregador e de conscientização da proposta. “O objetivo é justamente incentivar a participação. Falamos, em especial, àqueles jovens que carregam dentro de si um desejo de mudança e transformação. Esse desejo será alimentado com conhecimento, para que possa produzir bons resultados. É preciso capacitar e formar novos líderes, com novas ideias e muita atitude”, destacou.

O doutor em Ciência Política Leonardo Barreto preparou um material aos estudantes, disponibilizado para download gratuito no portal da FRB. Segundo o acadêmico, é preciso pensar que falta a política faz para o indivíduo e para a coletividade a qual ele integra. “Quando falamos em participação, logo as pessoas pensam em voto, eleição, protesto. Mas para a comunidade, participação representa cooperação. Isso cria laços de confiança e respeito com os outros”, explicou.

Sobre o processo político, Barreto foi enfático: “temos um problema de capital social no Brasil. Isso é combustível para governos e políticas ruins. Se não houver organização para articular, fiscalizar e cobrar, o governo vai atender mal. Jamais teremos um bom governo, em qualquer esfera, se antes, não tivermos uma boa sociedade”. A cientista política e comunicóloga Daniela Rabello, do Curso de Lideranças Femininas, também prestigiou o evento.

Para o professor e coordenador do JPRB na cidade-satélite Riacho Fundo II (DF), Railton Vanes, de 47 anos, a participação política começa no ambiente familiar. “Se eu quero, de fato, uma juventude comprometida, devo começar em casa, mostrando que existe a possibilidade de ter uma política diferente, que pode ser transmitida. Minha filha, como jovem, vai aprender que política não é corrupção, gente ruim, mas que existe uma política limpa, bonita, que a gente aprende. Julgo importante que ela participe comigo”, disse.

Já a filha de Railton, Raiza Clara Ribeiro, de 18 anos, viu na palestra uma oportunidade de absorver e disseminar o aprendizado. “Gostei muito do seminário, que veio para abrir mais nossas mentes. Principalmente pra que a gente traga esse conhecimento pra gente, mas também leve pras outras pessoas. Isso é muito bom”, declarou a estudante.

Ao final das explanações foi aberto um momento para perguntas do público presencial e virtual. Questões de participantes de estados como Maranhão, Pernambuco, Paraíba, Paraná, Manaus e Amapá foram respondidas pelo palestrante. Cada coordenação organizou-se de forma a reunir os militantes para assistirem ao seminário. Nos municípios mais distantes dos diretórios ou de mobilidade dispendiosa, alguns participantes puderam assistir ao evento em reuniões menores e até no conforto de suas casas.

Texto: Suellen Siqueira / Ascom – FRB
Fotos: Carlos Gonzaga / Ascom – FRB

 

Reportar Erro