Retorno ao trabalho presencial: vamos falar um pouco a respeito?

Mesmo com o avanço da vacinação e redução dos casos de Covid-19, o retorno ao trabalho presencial ainda requer os devidos cuidados sanitários

Publicado em 18/08/2021 - 10:00

Brasília (DF) – O avanço da vacinação contra a Covid-19 no Brasil, aonde mais da metade da população tomou, pelo menos, a primeira dose do imunizante, intensificou a preparação para o retorno presencial ao trabalho. O número de contaminação e de mortes teve redução desde o pico da pandemia no período entre abril e junho, mas ainda estão altos, o que requer organização e paciência no retorno ao trabalho presencial, apontam especialistas.

Um levantamento da consultoria global KPMG releva que 50% das empresas desejam retomar as atividades presenciais, mesmo que de maneira híbrida. As outras 50% avaliam a volta no ano que vem.

O mesmo levantamento aponta que 74% das empresas ouvidas pela consultoria afirmam que os planos da volta ao trabalho presencial mudaram em algum momento por causa do surgimento de novas cepas da Covid-19, ou mutações, como também são conhecidas. Além disso, a vacinação completa ainda está na casa dos 20%, o que também atrapalha a retomada.

Novo modelo de trabalho

O modelo híbrido (modelo no qual se alternam, na semana, os dias no escritório e os dias em home office) é visto tanto por empresas quanto por especialistas como um modelo que tende a permanecer. Uma pesquisa realizada pela companhia de coworking WeWork com a consultoria Workplace Intelligence aponta que 53% dos funcionários desejam trabalhar três ou mais dias em casa por semana.

Protocolo de segurança

Na preparação para a retomada das atividades presenciais, especialistas recomendam que é preciso reestruturar todo o ambiente de trabalho para receber os colaboradores de forma segura. Uso obrigatório de máscara, espaçar as mesas para manter o distanciamento entre as pessoas, disponibilizar álcool em gel por toda a empresa, afixar orientações de higiene e limpeza, janelas sempre abertas para a circulação do ar, limpeza reforçada dos postos de trabalho, medição da temperatura, entre outros.

As empresas que não adotarem os novos regulamentos poderão, possivelmente, enfrentar reclamações e fiscalizações, além de exporem seus colaboradores ao risco de contrair a Covid-19.

Cuidados na volta ao trabalho presencial

O uso da máscara continua indispensável. A sugestão de infectologistas é que o trabalhador tenha um conjunto de máscaras para trocar durante o dia. O tempo de uso varia entre quatro e seis horas. Se o profissional fala muito enquanto usa o acessório, a troca deve ocorrer em período menor de tempo, quando perceber umidade no equipamento. É importante levar um saquinho plástico para guardar a máscara usada, lavar quando chegar em casa e ter outra seca e limpa para usar no dia seguinte.

O distanciamento das outras pessoas de outras pessoas, no mínimo um metro e meio, continua sendo essencial para evitar o contágio de Covid-19.

No retorno para casa, após o trabalho, é precisa ter cuidado com a roupa, pois estudos apontam que é possível o vírus permanecer vivo por 24 horas, dependendo do tecido e da porosidade. Portanto, a importância de lavá-las imediatamente após o uso ou manter em local separado das demais.

Texto: Agencia Republicana de Comunicação – ARCO, com informações da KPMG e OMS
Foto: Banco de imagem Freepik

 

Reportar Erro
Send this to a friend