O papel civilizatório da educação política

Paulo Cesar Oliveira é presidente da Fundação Republicana Brasileira.

Publicado em 07/04/2015 - 00:00

Se há uma coisa que a democracia nos ensinou é que a construção de uma civilização mais justa, desenvolvida e equilibrada exige um cidadão preparado e comprometido. O motivo é simples: não há boas políticas públicas se não existir um bom debate que a preceda e oriente.

Muitos dos equívocos dos governos, seja na elaboração de uma política pública ou na sua execução decorrem de um olhar desatento do cidadão. A corrupção, irmã da má gestão, também encontra em contextos de pouco preparo e má vontade um ambiente propício para seu crescimento.

As democracias com mais tempo de estrada também mostram que essa energia do cidadão precisa ser catalisada por organizações para que possa produzir resultados. Aqui vale o princípio de que “a união faz a força”. Reunidos em associações, ongs e partidos, as pessoas podem muito. Separadas, elas possuem muito pouco poder de agenda, ou seja, capacidade de se fazerem percebidos e ouvidos.

Não basta termos elites bem formadas. É necessário que a massa da população seja bem preparada pois, em se tratando de democracia, quantidade é qualidade.

Por isso, o processo de educação política da sociedade certamente é uma das tarefas mais nobres que podem ser desempenhadas, devendo estar no rol de atividades dos partidos, das associações, das escolas (desde que desprovida de conteúdo ideológico) e, principalmente, das famílias, principais responsáveis desde sempre pelo preparo das futuras gerações.

Ciente do seu papel, a Fundação Republicana Brasileira oferece uma formação política generalista, sem conteúdo doutrinador, para incentivar a consciência e a prática da cidadania de forma livre, independente das preferências partidárias.

Para quem quer nos conhecer, pode vir sem medo, pois a nossa vocação é universalista, ou seja, pautada em valores que transcendem as divisões e que estão enraizadas em todas as civilizações políticas mais avançadas do mundo.

*Paulo Cesar Oliveira é presidente da Fundação Republicana Brasileira

Reportar Erro